Cléa Sá

Frases instigantes

Quando bem jovens, meu irmão Petrônio e eu tínhamos uma brincadeira: decorar e dizer o início dos livros que gostávamos. Desses, estão aqui Lolita, um dos seus preferidos, e Amar e morrer, um dos meus na época. Hoje já não decoro quase nada. Assim, copiei esses trechos iniciais de livros, todos instigantes, para despertar a curiosidade de vocês. Tomara que isso aconteça. Se acontecer, e vocês forem a esses livros, garanto que terão uma boa leitura.

 

“Musa, narra-me as aventuras do heroi engenhoso, que, após saquear a sagrada fortaleza de Tróia, errou por tantíssimos lugares vendo as cidades e conhecendo o pensamento de tantos povos e, no mar, sofreu tantas angústias no coração…”

A Odisséia – Homero

 

“Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor…”

Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

 

“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.”

A metamorfose – Franz Kafka

“-Nonada. Tiros que o senhor ouviu foram de briga de homem não, Deus esteja. Alvejei mira em árvore, no quintal, no baixo do córrego. Por meu acerto. Todo dia isso faço, gosto; desde mal em minha mocidade.”

Grande sertão: veredas – Guimarães Rosa

 

“Lolita, luz da minha vida, labareda em minha carne. Minha alma, minha lama. Lo-li-ta: a ponta da língua descendo em três saltos pelo céu da boca para tropeçar de leve, no terceiro, contra os dentes. Lo. Li. Ta.”

Lolita – Vladimir Nabokov

 

“Se querem mesmo ouvir o que aconteceu, a primeira coisa que vão querer saber é onde eu nasci, como passei a porcaria da minha infância, o que meus pais faziam antes que eu nascesse, e toda essa lenga-lenga tipo David Copperfield, mas, para dizer a verdade, não estou com vontade de falar sobre isso.”

O apanhador no campo de centeio – J. D. Salinger

 

“TUDO ISSO ACONTECEU, mais ou menos. As partes da guerra, pelo menos, são bem verdadeiras. Um cara que eu conhecia realmente foi morto em Dresden por pegar uma chaleira que não lhe pertencia. Outro cara que eu conhecia realmente ameaçou contratar assassinos profissionais para matar seus inimigos pessoais depois da guerra. E assim por diante.”

Matadouro 5 – Kurt Vonnegut

 

“Na Rússia a morte tem um cheiro muito diferente do que o que apresenta na África.”

Amar e morrer – E. M. Remarque

 

“É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro, possuidor de uma boa fortuna, deve estar necessitado de esposa.”

Orgulho e preconceito – Jane Austen

 

“Hoje, mamãe morreu. Ou talvez ontem, não sei bem.”

O estrangeiro- Albert Camus

Postado em 23/9/2010

 

 

Sem comentários ainda.