Cléa Sá

On the road

Nossa! Faz tempo que não trabalho na coluna “Vamos Ler?”  É hora, pois,  de retomar. E falo hoje do livro  “On the road”, traduzido por “Pé na estrada”, nome que não pegou, felizmente. On the road é On the road e pronto. É um livro imprescindível para que se conheça o início do movimento beatnik, primeira manifestação da contracultura nos Estados Unidos, que questionava os valores da sociedade americana da época e pregava a liberdade acima de tudo, artística e comportamental. O autor Jean-Louis Kerouac (1922-1969), conhecido apenas por Jack Kerouac, escreveu este livro em apenas três semanas e tem um estilo livre, espontâneo e falador, para não dizer verborrágico, como alguns o definem e me parece depreciativo. É a história de uma viagem tanto pelo interior do país (Estados Unidos) quanto de autoconhecimento dos personagens Sal Paradise e Dean Moriarty. E com eles todos nós da geração pós-guerra nos sentimos representados e muitos jovens, a partir de sua leitura, literalmente puseram o pé na estrada. E quem não o fez, desejou fazê-lo. Em tempo: o termo beatnik á a junção da palavra “beat” que significa tanto ritmo e batida – influência do jazz, quanto beatitude – relativo à dimensão espiritual do movimento, com o sufixo do satélite russo Sputnik – o que demonstra certo antiamericanismo. É melhor não falar mais. Vá ao livro, que me parece, foi reeditado agora. Ou então procure em algum sebo. O que você não pode é deixar de conhecê-lo. Boa leitura!

 

Sem comentários ainda.