Cléa Sá

Saudade

Da Costa e Silva


Saudade! Olhar de minha mãe rezando
E o pranto lento deslizando a fio…
Saudade! Amor da minha terra…  o rio
Cantigas de águas claras soluçando.

Noites de junho… o caburé com frio,
ao luar sobre o arvoredo, piando , piando…
E ao vento as folhas lívidas cantando
A saudade imortal de um sol de estio.

Saudade! Asa de dor do Pensamento!
Gemidos vão de canaviais ao vento…
As mortalhas de névoa sobre a terra…

Saudade! O Parnaíba – velho monge
As barbas brancas alongando… E, ao longe,
O mugido dos bois da minha terra…

 

Sem comentários ainda.