Cléa Sá

Poema

Jiang Jie

Quando era jovem, ouvindo as moças  numa torre
Escutei o som da chuva,
Enquanto a vela vermelha ardia baçamente no ar úmido.
Na meia-idade, viajando de barco por um rio,
Escutei a chuva que caía e caía;
O rio era largo e as nuvens fluíam lá em cima;
Ouvi o grito solitário de um pato, trazido pelo vento oeste.
E agora numa cela de claustro ouça a chuva outra vez,
Meu cabelo está grisalho e ralo;
Tristeza e Felicidade , separação e união, tudo parece igual
Já não me dizem nada.
Que a chuva caia a noite toda na calçada deserta
Até que o dia amanheça.

Tradução de Joseph Needham.

Sem comentários ainda.