Cléa Sá

Eleições 2014

Do meu Observatório

Foco minhas lentes nas próximas eleições. Com bastante cuidado porque a disputa política acirra os ânimos e tenho pessoas queridas em todos quadrantes, mas a tentação é grande, a ela não resisto e começo a andar no fio da navalha.
Começo pelo debate da TV Bandeirantes. Vi o quanto pude, até que o sono me pegou, mas valeu. O melhor foram as perguntas. Perguntas pontiagudas, afiadas, e elas é que ficam. As respostas quase não importam: no meio dos 2 minutos os interrogados se perdem, se desviam do tema ou nós, telespectadores, nos distraímos.
Quem não tem chance na disputa, aborda os temas espinhosos. E como não temem perder o que dificilmente conseguirão – votos, podem dizer o que querem. Assim defendem baixar a menoridade penal, pedem a liberação do aborto, tiram todos os impostos dos remédios, entregam todos os serviços públicos para a iniciativa privada. Os que têm chance na disputa passam longe de qualquer tema controverso.
Por isso é que é bom um debate com todos os candidatos. O Eduardo Jorge, do PV, esteve bem, solto, e me lembrou um pouco o Plínio de Arruda Sampaio nas últimas eleições. Mas o Plínio era melhor.
Volto em breve. Eleição é a coisa mais saudável que pode existir. Amo eleição, amo votar.
Até!

Sem comentários ainda.