Richard Avedon, movimento e poesia

Natural de Nova Iorque, Avedon nasceu em 1923 em uma família de origem judaica-russa .
Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, serviu as forças armadas como fotógrafo da Marinha Mercante. Durante os dois anos que esteve lá, usou a Rolleiflex com lente dupla que havia ganho de presente de seu pai para fazer os retratos dos tripulantes.
Trocou a filosofia por fotografia. Era fascinado pela capacidade que a imagem tinha de sugerir personalidade aos seus modelos: “As minhas fotografias não vão além da aparência externa. Tenho muita fé nelas. Uma boa aparência externa está cheia de pistas.”, dizia.


Versátil, também registrou momentos conflituosos, como o movimento dos direitos civis no Sul dos Estados Unidos e a Guerra do Vietnã, onde clicou estudantes, artistas, ativistas e as vítimas da guerra.
Também transitou pelo mundo do cinema ,foi consultor visual do filme “Funny Face” de Stanley Donen, nomeado para 4 Oscar’s da Academia , com Audrey Hepburn e Fred Astaire nos papéis principais. O filme era baseado em sua própria vida.

Produziu e publicou vários livros ao longo dos anos, dentre eles Observations (1959), Nothing Personal (1964), Portraits (1976), Photographs 1947–1977 (1978) e In the American West (1985).
Avedon tinha uma genialidade que lhe permitiu a produção de fotos atemporais, verdadeiras obras de arte , unindo poesia a movimento. Ao lado de Irvin Penn e Henri Cartier-Bresson é um dos maiores nomes da história da fotografia.

Sem comentários ainda.