Pulso Iraniano

Localizado em uma parte estratégica do Oriente Médio, sobre valiosas reservas de petróleo, o Irã possui uma imagem “complicada” internacionalmente. Além do ultraconservador Mahmud Ahmadinejad e do famoso conceito de “eixo do mal” definido pelo genocida George W. Bush, pouco se sabe sobre como vivem hoje os herdeiros do império persa. Fora um ou outro filme iraniano em festivais, quase nada chega aqui sobre as artes no país. Mas, afinal, não são também as adversidades que dão um tempero todo especial aos artistas? Basta ver a criatividade produção musical brasileira durante a ditadura.

Viver num país onde as mulheres são obrigadas a se cobrir com o xador não deve ser tarefa fácil para um fotógrafo. No entanto, aí é que surgem grandes trabalhos, os que conseguem driblar o óbvio e apresentar propostas novas, que mexam com a nossa imaginação. Afinal, quando pensamos em imagem, temos que levar em consideração o lugar geográfico e cultural em que o fotógrafo esta situado. Sua história, o momento, a política, tudo irá compôr sua identidade, repercutindo diretamente em sua obra.

No final do ano passado, os paulistas tiveram a oportunidade de ver de perto alguns exemplos da arte contemporânea dos persas na exposição Pulso Iraniano, sediada no Sesc Vila Mariana. Entre vídeos, telas, músicas e performances, estavam também alguns dos mais importantes fotógrafos da história recente do país. Desses, selecionamos quadro exemplos marcantes. Tomara que gostem

 

Tags:

Uma opinião para “Pulso Iraniano”

  1. Cléa Sá
    clea
    07/02/2013 at 21:57 #

    Excelentes fotos. Gosto cada vez mais de O Olhar de Gê. só assim podemos conhecer a diversidade da fotografia de hoje. Parabéns! Cléa