Poesia em branco e preto


Nathalia Oliveira, nos traz um belo portifólio onde o preto e branco confundem-se e nos faz lembrar um pouco de Cartier-Bresson.


Um olhar dinâmico e preciso, captando a essência do momento, peculiaridades que somente um fotógrafo têm e sabe o exato momento em que deve usar para congelar o tempo, o momento oportuno.


Suas fotos nos contam histórias e refletem um universo urbano cheio de vida.
 
Oliveira, dirige as cenas num suave processo de criação em que a luz sugere dimensões poéticas dando corpo às suas imagens. Há profundidade e há mistério ali. Um toque de narrativa imagética que vem de seus estudos em produção audiovisual. E uma deliciosa oportunidade de coautoria dos significados do que se vê.
 
O homem relaxado ao banco da praça. O que estaria pensando? Certamente nunca iremos saber. Tampouco iremos sentir o calor do grupo a se esquentar à luz do sol. Nada sabemos sobre suas vidas, o que estavam pensando, só sabemos que estavam se aquecendo em grupo. E nesse inverno europeu, o sol é uma benção! Temos, ainda, a imagem da bicicleta solitária. Quem a deixou lá, talvez para subir ao castelo? São coisas que só a fotografia revela para quem ousa sonhar.

mais imagens  veja: http://nathaliamesmox.carbonmade.com/projects/5211952
 

2 Responses para “Poesia em branco e preto”

  1. Ednei Cerqueira
    06/01/2015 at 09:22 #

    Lindas imagens! De fato é de uma precisão impressionante.
    Parabéns.

    • maria eugenia
      06/01/2015 at 15:18 #

      obrigada Ednei Cerqueira,
      sem dúvida essa fotógrafa é um achado!!