Os países do Mar Negro entre o cinza e o colorido    


O Leste Europeu e a Ásia Central fazem parte de uma região pouco conhecida e praticamente sem acesso aos ocidentais até a queda da União Soviética há 25 anos. O preconceito sobre seus hábitos e habitantes é, portanto, vasto e atinge até mesmo o subconsciente de seus moradores. Foi exatamente para descobrir o que é fato e o que não é, que o fotógrafo romeno Petrut Calinescu e seu colega jornalista Stefan Candea criaram o projeto Around the Black Sea, para visitar todos os países que circundam o Mar Negro, incluindo a própria Romênia, a Georgia, a Turquia, a Bulgaria, a Ucrânia e a Rússia. 
 

“Os boatos que ouvíamos antes da viagem eram que na Romênia é preciso ter cuidado com os cães vadios que têm raiva e atacam o pescoço das pessoas. Na Bulgária, há criminosos disfarçados de policiais em todos os lugares, mas seu carro vai ser roubado mesmo assim. No Cáucaso só existem Mujahedines (guerrilheiros islâmicos que lutaram contra os soviéticos no Afeganistão) e agentes da KGB, que se matam mutuamente. Na Moldávia, ouvi que alguns mafiosos se colocam no meio da estrada, se fingem de mortos e quando você tenta ajudá-los, eles colocam uma pistola na sua cabeça e te roubam”, conta Candea.
 

Claro que muito disso é exagero, apesar de realmente eu e o Vinicius termos sido perseguidos por uma gangue de cachorros de rua em Bucareste, capital da Romênia. Na verdade o que Calinescu e Candea viram em quatro meses percorrendo onze países da região foi uma cultura diversa mas extremamente colorida, beirando o visual kitsch, contrastando com o cinza padrão do período soviético. Lugares simples, famílias grandes, mulheres de biquíni ou mesmo topless, a tradição ligada aos cavalos (os povos originais da Ásia Central foram provavelmente os primeiros a domesticar equinos há milênios) e cenas bastante inusitadas. Tudo isso está presente nas imagens de Calinescu.
 

“Mesmo nas imagens coloridas percebemos que Europa Oriental é cinza. As pessoas, especialmente nas grandes cidades, não sorriem muito porque vivem com grandes preocupações quanto à própria sobrevivência financeira. Mas aqui também se pode encontrar resorts extravagantes e restaurantes do mesmo nível de qualquer outra parte do mundo, ou ainda melhores. A região está mudando rápido e por isso é difícil documentá-la de forma totalmente objetiva. No final, você tem que escolher uma realidade a partir das várias que existem e se concentrar nela”, complementa o fotógrafo. 

Veja mais imagens em http://www.petrut-calinescu.com
 

2 Responses para “Os países do Mar Negro entre o cinza e o colorido    ”

  1. Carmen
    28/06/2015 at 21:34 #

    Deu vontade passear por lá. Cenas e pessoas muito bonitas.

    • maria eugenia
      28/06/2015 at 23:46 #

      pois é amiga Carmen, também fiquei com essa vontade de passar por lá…achei as fotos lindas, mas a do rapaz na canoa é belíssima..