Greg Marinovich, nascido para o que é!

Os quatro fotógrafos que formavam o Bang Bang Club mudaram a forma como a Europa e a América enxergavam a África! Hoje vamos falar do segundo membro do grupo: Greg Marinovich.

 

 

Sul-africano de origem iuguslava, Marinovich produziu sua primeira grande reportagem fotográfica, um linxamento no bairro negro do Soweto, sozinho e ainda sem emprego em um jornal , em agosto de 1990. Menos de um mês depois, já trabalhando no Star, fez a foto do negro agachado e em chamas sendo atingido na cabeça pelo facão empunhado por um menino. A imagem lhe rendeu o  Prêmio Pulitzer e o tornou um dos maiores nomes do fotojornalismo no final do século passado.

Ele vivenciou intensamente um período compreendido entre a libertação de Nelson Mandela, em 1990, e sua eleição para presidente, em 1994, um dos períodos mais violentos da história da África do Sul, onde a euforia gerada pela libertação do líder negro foi acompanhada por uma intensa onda de terror. Assim, Marinovich nos mostra imagens que dão uma ideia da dificuldade de ser somente um fotógrafo com uma câmera na mão enquanto todos ao redor estão preparados para o combate. Tornar-se invisível em meio ao caos e ainda trazer boas fotos é uma tarefa árdua.

O livro do qual é co-autor, o Clube do Bang Bang,  mostra a realidade da época sem retoques. Para nós, que somos fotógrafos, fica a questão: qual arma não seria melhor e mais perfeita que uma boa e surrada máquina fotográfica?

Marinovich vive hoje de fotografar, escrever e produzir filmes com a esposa, também fotógrafa, Leonie.

Sem comentários ainda.