Eve Arnold, a fotógrafa que enxergava a alma



Da infância pobre e difícil, Eve Arnold guardou o olhar crítico e sincero que resultou em imagens fortes e honestas, e ajudou a abrir caminho no fotojornalismo para outras mulheres, numa época onde as redações eram quase 100% masculinas.

Depois de ser descoberta por Henri-Cartier Bresson, foi convidada a ingressar na agência Magnum. Trabalhou com muitas estrelas, como Marilyn Monroe, Joan Crawford, Elizabeth Taylor, Marlene Dietrich, Jacqueline Kennedy, Yves Saint Laurent, Elizabeth II e Malcolm X. Tinha o dom de enxergar a alma de seus fotografados.


Coincidência ou não, um de seus melhores trabalhos foi também o último de Marilyn Monroe, dois livros realizados durante as filmagens de Os Desajustados, em 1960.

Registrou com maestria mesmo sem querer, o cansaço, o esgotamento e a tensão dos três protagonistas do filme – Marilyn, Clark Gable e Montgomery Clift

Correu o mundo. Viajou para China, Mongólia, Rússia, África do Sul e Afeganistão. Fotografou diferentes realidades, que iriam impactar ainda mais seu trabalho. Foi também uma das primeiras mulheres ocidentais a fotografar na China comunista.

Arnold certa vez em entrevista resumiu sua trajetória: “Eu já fui pobre e quis documentar a pobreza; eu perdi uma criança e andava obcecada com o nascimento; eu estava interessada em política e queria saber como é que ela afeta as nossas vidas; eu sou uma mulher e queria saber mais sobre as mulheres.”

Morreu aos 99 anos de idade, sendo que 50 foram exclusivamente dedicados a arte e a fotografia.

Sem comentários ainda.