Eduardo Gageiro – Rapaz de Sacavém, fotógrafo do Mundo



Na fotografia, o instante decisivo é o ponto para manter todos os elementos em equilíbrio. O clic é a maneira de sustentar esse momento imóvel dentro do imaginário coletivo. Eduardo Gageiro é um desses fotógrafos que consegue tal proeza, na busca incansável pela verdade social, muito além do convencional estabelecido.


Autodidata, teve a sua primeira fotografia publicada no jornal Diário de Notícias quando tinha apenas 12 anos. Em 1971, publicou o primeiro de nove livros de fotografia, numa colaboração alguns dos principais escritores portugueses da segunda metade do século XX, como António Lobo Antunes, Miguel Torga, José Cardoso Pires, David Mourão-Ferreira, José Saramago, Lídia Jorge e Baptista Bastos.


Gageiro foi fotógrafo de veículos importantes como o Diário Ilustrado, O Século Ilustrado, Eva, Almanaque, Match Magazine e editor da revista Sábado. Ele trabalhou, ainda, para a Associated Press, a Companhia Nacional de Bailado, a Assembleia da República e até para a Presidência de Portugal. Sem falar em fotos para a Deustche Gramophone na Alemanha, a Yamaha no Japão e a Cartier na França.

Em 2004 foi condecorado com o título de Comendador da Ordem do Infante Dom Henrique, pelo presidente da República Jorge Sampaio. Homem de seu tempo, segue as novas tecnologias, como a fotografia digital. Mas, também, continua fiel à fotografia analógica em película por não conseguir viver “sem o cheiro e a calma do laboratório”.

Sem comentários ainda.