Dorothea Lange

Talento e delicadeza fazem de Dorothea Lange uma fotógrafa poderosa

USA,(1895-1965)

A crise econômica é uma certeza cíclica inerente ao capitalismo, assim como as guerras parecem ser na humanidade. Por isso é tão importante documentar com força e sensibilidade seus efeitos nas pessoas. Após a quebra da Bolsa de Nova York em 1929, Dorothea Lange surgiu na cena fotográfica retratando campos e cidades. Ela humanizou o impacto da Grande Depressão na vida dos camponeses e migrantes nos Estados Unidos. Percorreu mais de 20 estados na época, registrando a pobreza que assolava o interior. Em seu trabalho, conviveu com a fome e o desespero de famílias em que mães não tinham sequer comida para os filhos.

Dorothea se notabilizou nos anos 1930 com uma imagem que se tornaria ícone desse período da história norte-americana: Mãe Migrante (1936). Na foto, conseguiu captar o sofrimento sem retoques, sem computação, sem truques nem cores. O olho no olho. Difícil ser tão honesto atrás de uma câmera e diante de uma mulher como você em um cenário econômico devastador. Só mesmo uma poderosa Dorothea Lange para tal façanha.

2 Responses para “Dorothea Lange”

  1. Denise Gomide
    28/02/2013 at 13:08 #

    Trabalho maravilhoso! Parabéns por mais esse importante resgate, Gê!

  2. Denise
    28/02/2013 at 10:02 #

    Lindo, linda Gê.