A Coreia do Norte vista por dentro por David Guttenfelder  


 
Sem dúvida, para um fotógrafo, é um imenso privilégio conseguir adentrar o universo de um dos países mais fechados do mundo: a Coreia do Norte. Afinal, obviamente, isso não é para qualquer um. Famoso por prender, torturar e executar dissidentes e “espiões”, é preciso ter costas quentes para entrar no país e mais ainda para sair com imagens. Aparentemente é o que não falta a David Guttenfelder. 


 
Norte americano e chefe da Associated Press para a Ásia, o fotógrafo acumula prêmios de enorme prestígio como WorldPress, National Geographic. “Ao longo de minha carreira, trabalhei em lugares cheios de fotógrafos estrangeiros”, conta. “Na Coreia do Norte, porém, costumo ser o único”. O carimbo no passaporte, contudo, tem um preço: a eterna vigilância dos agentes do governo. “Não posso, por exemplo, fotografar reatores nucleares ou campos de prisioneiros”. 
 

Baseado em Tókio, Guttenfelder já fez mais de 25 viagens à Coreia do Norte desde o ano 2000, até conseguir abrir um escritório da AP na capital do país, Pyongyang, em 2012. Nessas excursões, produziu milhares de imagens onde se sobressai sua sagacidade e um olhar poderoso que consegue destacar na coletividade verdadeiras pérolas.
 

Guttenfelder nos traz imagens de multidões em padrões simétricos que são, ao mesmo tempo, delicadas. Os tons avermelhados, como nos sonhos e nas bandeiras comunistas, são uma constante. A realidade da Coréia do Norte é captada aqui por quem conhece mais do que fotografia, a cultura e as práticas do povo. Uma cultura, claro, trabalhada pela propaganda estatal. “Muitos desfiles espetáculos cívicos são como grandes atuações, mas os participantes são pessoas reais”, explica. 
 
A ditadura comandada pelo jovem herdeiro Kim Jong-un não raro é retratada de forma caricata e mentirosa, como a recente “barriga” da mídia ao divulgar a falsa execução do ministro da defesa com artilharia antiaérea por ter “cochilado” num discurso. Para o fotógrafo que já cobriu conflitos como o genocídio de Ruanda, as guerras Iraque e Afeganistão, o conflito da Palestina, a Coreia do Norte é vista como um desafio, “em um mundo no qual quase não resta nada de novo para se fotografar, minha tarefa é revelar como se vive dentro desta sociedade hermética”, diz. 
 
Veja outras fotos em http://thestar.blogs.com/photodesk/2012/12/david-guttenfelders-hasselblad-panoramas-from-north-korea-editors-choice-pictures-of-the-day-decembe.html
 

Sem comentários ainda.