Brian Bielmann, entre glórias e tombos

 


São mais de 30 anos de praia clicando belas manobras executadas pelos mais importantes nomes do surf até as maiores quedas já registradas no mundo. Muitos dos flagrantes dessas ondas registrados por Bielmann aconteceram em lugares extremamente perigosos para se surfar, como o Havaí e o recife de Teahupoo, no Taiti. Além das enormes ondas, os surfistas e fotógrafos têm de ficar atentos aos recifes de corais logo abaixo da superfície da água e aos tubarões que por ali sempre estão rondando. Acidentes e afogamentos não são raros. Ele mesmo quase morreu pelo menos três vezes. Sem contar as diversas câmeras perdidas, quebradas, inundadas.

Bielmam é uma referência, uma escola, único. Por suas lentes já passaram lendas do esporte como Andy Irons, Bruce Irons, Kelly Slater e Garret MacNamara. Até agora são mais de 150 capas das principais revistas de surf do mundo, 30 livros e um número incrível de matérias em revistas como Rolling Stone, Men’s Journal, National Geographic e Sports Illustrated. Depois dele vieram gerações de novos fotógrafos, talvez ainda mais ousados e intrépidos, mas seus registros continuam sendo referência. Ele diz que não “disputa” com os novatos. Seu prazer e desafio é fazer o que Brian conta que ele mesmo ainda não fez. A próxima e melhor foto.

Brian conta que quando, ainda jovem, trocou a prancha pela máquina de fotografar, a sensação era de continuar surfando. Acessível, vive do que gosta, fotografar surf pelo mundo. Seus registros são sofisticados, belos, imagens de tirar o fôlego. Então, respire fundo.

10 Responses para “Brian Bielmann, entre glórias e tombos”

  1. Josenildo Arruda
    11/08/2014 at 16:33 #

    Nossa Maria, esse cara é de mais! Obrigado pela dica :)

  2. Marta Molina [Reporting On Resistances]
    07/08/2014 at 06:32 #

    Lindo trabalho. ¡Felicidades!

  3. Mirella Pantarotto
    07/08/2014 at 03:57 #

    Adorei!!! Uma melhor que a outra e o efeito da água na fotografia! DEMAIS! Bjs

  4. Francisco Reis
    06/08/2014 at 21:33 #

    Fantásticas. Fico imaginando como ele conseguiu fotografar. Muito boas mesmo. Quase me afoguei no meio de tanta água. Parabéns.

    • maria eugenia
      06/08/2014 at 23:05 #

      Querido amigo Francisco Reis,

      Pensei o mesmo que você, é um trabalho pra lá de perigoso. Fico feliz que você tenha gostado!!
      beijins

  5. Lucas
    06/08/2014 at 20:06 #

    Iradas as fotos !!!