Brassai à sombra da Cidade Luz

Becos escuros, bares soturnos, mulheres da vida. Paris nos anos 1920 e 1930 era o lugar perfeito para um fotógrafo nascido na Transilvânia do Conde Drácula. No início do século passado, o território do famoso vampiro pertencia à Hungria (hoje à Romênia), mas nunca foi exatamente uma terra de acadêmicos. Para poder estudar, portanto, o jovem Brassai decidiu ir para Budapeste, Berlin e finalmente França. Foi lá que o artista conheceu o trabalho fotográfico do fantástico conterrâneo Andre Kertesz e partiu para suas próprias experimentações.

O foco de Brassai sempre foi a noite, mas não era fácil na época conseguir boas fotos com a pouco iluminação, de modo que ele teve de improvisar flashes, usar os farois do carro e trabalhar com longas exposições. O brilho e contraste que conseguiu com isso são característicos de sua obra em preto e branco. Na companhia de artistas como Henry Miller, Salvador Dalí, Pablo Picasso e Jean Cocteau, o fotógrafo acabou botando um pé no documental e outro no surreal para retratar, além dos amigos, prostitutas, travestis, malandros, mendingos, casais de amantes e a Paris da penumbra. Um lado diferente, menos turista da “Cidade Luz”, mas com um charme que perdura até hoje.

Para mais informações e fotos de Brassai, acesse

http://www.atgetphotography.com/The-Photographers/BRASSAI.html

Uma opinião para “Brassai à sombra da Cidade Luz”

  1. ani
    17/02/2014 at 18:47 #

    adorei foi muitp bom amei bem resumido e sem imagnes fortes