A revolução das cores de Sergei Prokudin-Gorskii

É interessante considerarmos, até hoje, que as fotos em preto e branco muitas vezes representam melhor a realidade do que as coloridas, apesar de enxergarmos em cores. Um dos motivos disso talvez seja a ilusão de que a fotografia em PB manipula menos o real. De qualquer modo, já em meados do século passado, George Eastman, fundador da Kodak e inventor do filme em película flexível (que deu origem ao filme de rolo e possibilitou a indústria do cinema), criou o padrão de filme colorido que só seria desbancado com o advento da fotografia digital.

Essa solução, contudo, não foi a primeira. Trinta anos antes, Sergei Prokudin-Gorskii, um físico, matemático, químico e médico russo desenvolveu um processo totalmente original com câmaras e projetores especialmente feitos para ele. A ideia é a mesma do atual sistema de impressão a jato de tinta que temos em casa: montar uma palheta colorida a partir das cores básicas vermelho, azul e verde. No seu caso, a câmera tirava três fotos simultâneas em negativos de vidro que deveriam ser projetados também sobrepostos para criar uma grande variedade de cores.

Com esse equipamento e apoio do governo russo anterior à revolução Bolchevique, já que fazia parte de uma antiga família aristocrática, Prokudin-Gorskii realizou uma série impressionante de imagens pelo vasto império do czar Nicolau II. Fugindo dos comunistas com a queda do regime, levou boa parte de sua obra para Paris, onde permaneceu escondida por décadas. O conjunto de negativos em vidro foi depois vendido aos Estados Unidos, e pertence hoje à Biblioteca do Congresso. Sua apresentação para o grande público, contudo, sempre foi complicada pelas dificuldades inerentes do processo de projeção.

Foi preciso uma nova revolução, a tecnológica, para trazer de volta à luz, e aos nossos olhos, as cores de Prokudin-Gorskii. E Nostalgia, o nome do livro de 320 páginas que traz imagens do início do século 20 com todo o esplendor e profundidade de suas cores saturadas, não poderia ser mais apropriado (veja matéria e outras fotos do livro em russo/). Também parece perfeito que o autor de obra tão arrojada, tenha sido o precursor de uma outra revolução – na fotografia e no seu foco.

2 Responses para “A revolução das cores de Sergei Prokudin-Gorskii”

  1. dina
    28/09/2013 at 14:56 #

    Lindas fotos! é de encher os olhos de encantamento.

  2. Cléa Sá
    Cléa Sá
    28/09/2013 at 10:25 #

    Fotos e história maravilhosas. Você sempre nos surpreendendo e aumentando o nosso universo no campo da fotografia. Beijos
    Cléa