A Violeta da Paulista –

poema: Natalia Ferrigolli, fotografia: Yung Cheg Lin

Essa semana recebemos um poema de uma amiga, Natalia Ferrigolli, que nos perguntou se poderíamos divulgá-lo neste querido Blog. Coincidentemente, descobrimos as imagens fortes, surreais e profundamente ligadas ao universo da feminilidade da fotógrafa taiwanesa Yung Cheg Lin. Assim, diferentemente das edições anteriores deste olhar, decidimos não falar tanto do fotógrafo da hora, apenas deixar as fotos e poesia construirem juntos as imagens em suas mentes. 

 


A violeta da Paulista 
 
Já viu a violeta da Paulista? 
Não é jacarandá nem lavanda
A flor ultravioleta é daqui 
É dos jardineiros de revólver 
 
Já viu a violeta da Paulista? 
As pétalas aparecem na pele 
Que tal chamar de hematomas? 
É um nome mais sofisficado 
 
Já viu a violeta da Paulista? 
Ela não cresce sozinha 
Mas aqui o solo é fértil 
Mais fértil que terra roxa 
 
Já viu a violeta da Paulista? 
Ela sempre esteve aqui 
Das lágrimas, suas raízes 
Crescem em garra 
 
Já viu a violeta da Paulista? 
Que você nunca a veja 
Dissemina-se e contagia 
As ruas desde 64 
 
Já viu a violeta da Paulista? 
Há os que adoram fazê-lo 
Espero que nunca sinta 
A flor cutânea e violenta  
 

3 Responses para “A Violeta da Paulista –”

  1. Natalia
    20/08/2015 at 20:44 #

    Bom passando aqui para deixar o link da minha página de poesias do facebook para quem tiver interesse 🙂 facebook.com/caentreosversos

    Beijos líricos!

  2. Sonia Bastos
    01/08/2015 at 03:11 #

    imagens fortes, surreais e poema delicado e surrealista também.