Raquel Sá

Somos tão jovens/Faroeste caboclo

Estão em cartaz duas produções brasileiras endereçadas aos fãs/órfãos da banda Legião Urbana. Somos tão Jovens é a cinebiografia dos verdes anos de Renato Russo, líder do grupo. O diretor é o veterano Antônio Carlos Fontoura (de A Rainha Diaba e de Copacabana me engana). Já Faroeste Caboclo é dirigido pelo jovem cineasta René Sampaio, que cresceu em Brasília ouvindo a banda e decidiu realizar o primeiro longa com base na clássica canção de mesmo nome.
O primeiro é sobre as descobertas da juventude (sexo, drogas, rock), as decepções amorosas, o início da carreira, ainda com a banda Aborto Elétrico, e as primeiras canções, que são apresentadas em versões inteiras, para que o público se entusiasme e cante junto. O Renato Manfredini do filme é uma espécie de gênio precoce, que emite frases de efeito com freqüência e só não se torna um chato pela boa interpretação de Thiago Mendonça, que incorporou a voz e os trejeitos do ídolo pop.
Tudo isso nos é apresentado de forma leve, quase como um filme de sessão da tarde. A Brasília tranqüila do passado (fim dos anos 70/início dos 80), com sua bela paisagem e a falta do que fazer para a juventude da época, impulsionou a criação de algumas das principais bandas do rock brasileiro, como Capital Inicial e Plebe Rude, além dos Paralamas do Sucesso (cujos integrantes se conheceram no colégio, quando moravam no DF).
Faroeste Caboclo, por outro lado, já é menos palatável para todas as platéias, pois se trata da adaptação da saga do baiano João de Santo Cristo (Fabrício Boliveira), que se muda para a capital federal nos anos 80, se apaixona pela burguesinha Maria Lúcia (Isís Valverde), filha de senador (Marcos Paulo), e, por ela, mudará a vida e se envolverá em uma disputa perigosa com o traficante Jeremias (Felipe Abib). Tudo isso está narrado na canção original, de nove minutos e três segundos. Portanto, não é novidade para o público. Mesmo assim, em seu primeiro fim de semana, o longa atraiu mais de 540 mil espectadores em todo o país. Vários foram os motivos para tal feito: um trailer ágil que despertou a curiosidade nas redes sociais; a trágica história de amor; a interpretação correta do casal principal (e de outros atores); a recriação da atmosfera roqueira de Brasília de 30 anos atrás; as cenas de violência; as denúncias de podridão no sistema judiciário nacional e, principalmente, a áurea de Renato Russo. Mesmo após a sua morte, em 1996, o cantor e compositor ainda é cultuado pela geração atual de jovens, assim com foi nas gerações anteriores.
O filme faz referências aos westerns produzidos na Itália, com o clássico confronto entre o bem e o mal, mas enfatiza também os problemas típicos enfrentados pelas populações das grandes cidades do Brasil.
Em ambas as produções é preciso descontar as falhas, como a citação de músicas (nos diálogos) do primeiro e cenas desnecessárias (e improváveis) do segundo, que foram inseridas apenas para o bom andamento da trama, assim como é preciso respeitar as opções dos roteiros filmados. Por exemplo, Aninha (Laila Zaid), a melhor amiga de Renato Russo, na verdade é uma junção de várias garotas que foram importantes para a vida do músico naquela época.
As produções se beneficiaram do carisma do ídolo morto e por isso estão com boas bilheterias, com mais de 1 milhão de ingressos vendidos em todo o país, mesmo sem seguir a cartilha do produto brasileiro típico de sucesso atual (comédias rasas com o selo da Globo Filmes). Mas, mesmo quem não gostava do som da banda, pode se divertir assistindo essas produções.
Faroeste Cabloco
Gênero: Drama
Direção: René Sampaio
Roteiro: Marcos Bernstein, Victor Atherino
Elenco: Fabrício Boliveira, Isis Valverde, César Troncoso, Marcos Paulo, Antônio Calloni, Alex Sander, Felipe Abib, Rodrigo Dorta, Flávio Bauraqui, Rodrigo Pandolfo, Caco Monteiro
Censura: 14 anos
Duração: 105 minutos
Somos Tão Jovens
Gênero: Drama
Direção: Antonio Carlos Fontoura
Roteiro: Marcos Bernstein
Elenco:
 

 

 

 

 

Uma opinião para “Somos tão jovens/Faroeste caboclo”

  1. vinicius souza
    26/06/2013 at 21:49 #

    Estamos ansiosos para ver, principalmente depois da resenha….