Raquel Sá

O Quarteto

O astro Dustin Hoffman tem dezenas de filmes no currículo, mas não havia dirigido nenhum ainda. Aos 73 anos, porém, resolveu retomar um projeto antigo de passar para detrás das câmeras e assinar sua primeira produção. O Quarteto é uma adaptação de uma peça teatral de Ronald Harwood e trata de velhice e de segundas chances.

Uma casa de repouso na Inglaterra recebe apenas músicos aposentados, que dedicaram suas vidas ao trabalho e não tiveram tempo de constituir famílias, ou se desfizeram delas ao longo da vida. O quarteto principal que dá título ao filme (Maggie Smith, Pauline Collins, Tom Courtenay, Billy Connolly), já foi muito famoso no mundo da ópera, e agora terá que se unir novamente para arrecadar fundos para a instituição.

O problema será lidar com os egos, com os relacionamentos mal resolvidos e com os ciúmes que brotam do convívio diário entre eles, que são forçados a viverem juntos após anos sem se falarem. Será preciso superar as mágoas do passado, esquecer os planos e desejos abandonados, e aproveitar a experiência acumulada ao longo dos anos para manter a forma com dignidade, mesmo que o público tenha se esquecido da glória de outrora.

Trata-se de uma homenagem às artes, especialmente a música clássica, e o teatro. Além dos quatro nomes citados, há outros atores consagrados dos palcos britânicos, como Michael Gambon (o Albus Dumbledore da série Harry Potter, a partir do terceiro filme), e músicos profissionais.

O filme é agradável, mostra a força dos veteranos, que têm sempre algo a ensinar aos mais jovens, mas as motivações dos personagens para agir da forma como agem não convencem muito. Por exemplo, um casal que estava brigado há vários anos, de repente faz as pazes, o que não ocorreria na vida real com tanta facilidade.

Mas a proposta de focar nessa faixa etária insere o filme na leva de produções recentes que abordam a velhice sob um viés positivo, de continuar aproveitando os prazeres da vida, como Minhas Tardes com Margueritte, de Jean Becker, O Exótico Hotel Marigold, de John Madden, e E se Vivêssemos Todos Juntos?, de Stéphane Robelin.

Na verdade, Hoffman chegou a ter uma breve experiência como diretor em 1978, com o filme Liberdade Condicional. Entretanto, desistiu do cargo após as primeiras tomadas, passando a direção para o amigo Ulu Grosbard, com quem tinha trabalhado em O Inimigo Oculto. Assim, o sensível O Quarteto marca mesmo a sua estreia como diretor de longas-metragens.

Nome Original: Quartet 
Direção: Dustin Hoffman
Roteiro: Ronald Harwood
Elenco: Maggie Smith, Michael Gambon, Billy Connolly, Pauline Collins, Tom Courtenay, Sheridan Smith
Gênero: Comédia
País: Reino Unido
Ano de Produção: 2012
Duração: 98 min. 
Censura: 12 anos

Sem comentários ainda.