Raquel Sá

Moonrise Kingdom

Wes Anderson (da comédia dramática Os Excêntricos Tenenbaums e da animação O Fantástico Sr. Raposo) é um dos poucos diretores contemporâneos que imprime o seu estilo peculiar logo nas primeiras cenas de seus filmes. Com Moonrise Kingdom, seu mais novo trabalho, não é diferente. Somos apresentados primeiro a casa de Suzy (Kara Hayward) num travelling lateral, e vemos sua família “perfeita” em partes diferentes da casa, os pais advogados (Bill Murray e Frances McDormand) e os três irmãos mais novos. Em seguida, vemos a preparação de um dia no acampamento dos escoteiros, liderados por Randy Ward (Edward Norton), onde deveria estar Sam (Jared Gilman), porém descobrimos logo que ele fugiu, e com Suzy. A fuga do jovem casal, de 12 anos, movimenta o lugarejo em que vivem e bagunça a vida de todos.

O filme abriu o Festival de Cannes deste ano, mas saiu sem nenhum prêmio, apenas com críticas positivas e a comprovação do talento de Anderson de contar histórias meio inverossímeis, mas sempre originais e cativantes.

Desta vez a trama se passa em 1965, em uma pequena ilha isolada na Nova Inglaterra e trata das primeiras descobertas, da pureza e da inocência juvenis, mas também apresenta uma crítica social (ao militarismo, a vida em comunidade e a hipocrisia familiar). Os elementos típicos de seus filmes estão lá, a família disfuncional, a inadequação dos protagonistas às situações sociais, o uso marcante da música, e, principalmente, a forma esquisita de mostrar tudo isso, com uma direção de arte detalhista, figurinos exóticos e enquadramentos bem elaborados, que se encaixam muito bem na proposta de criar uma atmosfera lúdica para esta quase fábula.

O casal principal é formado por uma garota com gosto literário diferenciado e um órfão meio nerd, mas excelente escoteiro. Eles trocam cartas durante um ano, até terem coragem de fugir para um lugar desconhecido, selvagem, onde podem agir livremente, sem receber críticas de ninguém. Os adolescentes escolhidos para compor a dupla são inexperientes, porém conseguem transmitir com confiança as emoções de seus personagens.

Entretanto, o resto do elenco é estelar. Além dos três atores já citados, Bruce Willis atua como o Capitão Sharp, o encarregado da investigação do sumiço dos garotos, e há as participações especiais de Tilda Swinton, Harvey Keitel e Jason Schwartzman, figurinha fácil nos filmes do diretor, e protagonista de Rushmore (Três é demais).

O roteiro escrito por Anderson, em parceria com Roman Coppola – filho de Francis e irmão de Sofia –, encanta ao mesclar a sensível história de amor (entre os pré-adolescentes) ao olhar saudosista para os anos 60 e, desta forma sutil, apontar os defeitos da sociedade atual em que vivemos. Este filme mostra o amadurecimento do realizador, e com certeza agradará aos fãs de sua obra, mas desconfio que o público que ainda não conhece os seus filmes vai apreciar também esta trama poética e divertida.

Moonrise Kingdom
Comédia /Drama

Direção: Wes Anderson

Roteiro: Wes Anderson, Roman Coppola

Elenco: Jared Gilman, Kara Hayward, Bruce Willis, Edward Norton, Frances McDormand, Bill Murray, Tilda Swinton, Jason Schwartzman, Bob Balaban, Harvey Keitel

Nacionalidade: Estados Unidos

Ano de Produção: 2012

Duração: 94 min.

 

3 Responses para “Moonrise Kingdom”

  1. Nome
    12/12/2012 at 15:15 #

    A Ana Maria Bahiano coloca esse filme estre os melhores de 2012. Li ontem no blog dela,. Que tal?
    Beijos
    Cléa

  2. Raquel Sá
    Raquel
    25/11/2012 at 12:59 #

    Que bom tia, espero que tenha gostado.

    Bjs

  3. Cléa Sá
    Cléa Sá
    20/11/2012 at 17:10 #

    Oi, Raquel,

    depois de sua crítica, tão bem escrita e motivadora, resolvi ir ver o filme.

    Cléa