Raquel Sá

Cópia Fiel


O escritor inglês James Miller está no interior da Toscana, na Itália, para lançar um livro sobre a importância das “cópias fiéis” de obras de arte. Durante o evento, ele conhece a francesa Elle, que há anos mora no local com seu filho adolescente e administra uma galeria de arte. Os dois saem para passear e visitar as belezas da região, discutindo arte, amor e a inevitável passagem do tempo, entre outros temas.

Este pequeno resumo marca o início da história do primeiro filme com elenco internacional do consagrado diretor iraniano Abbas Kiarostami (Através das Oliveiras, Gosto de Cereja, Dez, Cada um com seu cinema), um dos principais responsáveis pela popularização do cinema iraniano no Ocidente.

Entretanto, há reviravoltas e após alguns acontecimentos os espectadores não sabem mais se estão diante de dois estranhos que estão se conhecendo ou de um casal em crise encenando novos personagens.

Além de brincar com os conceitos de fantasia/realidade, Kiarostami propõe questionamentos ao longo do filme sobre as diferentes formas de amar e sobre o verdadeiro valor das obras de arte. Uma boa cópia pode valer tanto quanto a obra original? O valor de um objeto não está no olhar de quem o contempla, ou este valor é atribuído por quem o produziu?

A estrela Juliette Binoche faz o papel da galerista e domina o filme, falando com naturalidade três idiomas (francês, inglês e espanhol) e garantindo o interesse do espectador pelo destino de sua personagem. Ela brilha mesmo nos momentos de maior vulnerabilidade e angústia, o que lhe garantiu o prêmio de melhor interpretação feminina no Festival de Cannes 2010. O seu companheiro de cena é o barítono William Shimell, que acaba surpreendendo e se saindo bem como ator.

A verborragia e a caminhada pelas ruas dos personagens aproxima o filme da trilogia europeia de Richard Linklater (Antes do Amanhecer/Antes do Anoitecer/Antes da Meia-Noite), mas uma possível referência para a concepção da história deve ter sido o clássico Viagem à Itália, de Roberto Rossellini.

Não se sabe ao certo se o que ocorre na tela é real ou ficcional, o importante é que Kiarostami, mais uma vez, uniu a experimentação da linguagem cinematográfica ao envolvimento emocional do público, que termina o filme refletindo sobre as questões apresentadas.

Após esta obra, o cineasta continuou a sua peregrinação pelo mundo e filmou o drama intimista Um alguém apaixonado no Japão, mas o resultado não foi tão bom quanto em Cópia Fiel.

Cópia Fiel
Título Original: Copie Conforme
Gênero: Drama
Direção: Abbas Kiarostami
Roteiro: Abbas Kiarostami
Elenco: Juliette Binoche, William Shimell , Adrian Moore, Agathe Natanson, Andrea Laurenzi, Angelo Barbagallo, Filippo Trojano, Gianna Giachetti, Jean-Claude Carrière, , Manuela Balsinelli
Produção: Abbas Kiarostami, Angelo Barbagallo, Charles Gillibert, Marin Karmitz, Nathanaël Karmitz
Fotografia: Luca Bigazzi
Duração: 112 min.
Gênero: Drama
Classificação: 14 anos
———————————————————————————————————-

Sem comentários ainda.