Regina Motta

Oswaldo Goeldi e a Xilogravura

OSWALDO GOELDI e a XILOGRAVURA.

Nascido no Rio de Janeiro (1895/1961), desenhista, ilustrador, professor, projetou-se como um importante gravador da História da Arte Brasileira, embora vivendo grande parte de sua juventude na Suíça, retornando ao Rio de janeiro em 1919. Goeldi ilustrou várias obras de autores brasileiros, foi professor na Escola Nacional de Belas Artes onde montou em 1955 um atelier de xilogravura.

A Pinacoteca de São Paulo exibe cerca de 50 obras de Goeldi, em xilogravura, doadas à instituição.

A gravura de Goeldi tende ao expressionismo com imagens sombrias, soturnas, praças e ruas desertas. O toque de cor vibrante, característica de sua obra, ameniza estes efeitos mantendo, no entanto, a força e impacto de suas figuras.

A xilogravura (xilo/ madeira) é uma técnica de impressão sobre suporte de madeira em toros de corte transversal. O traço sobre a madeira, devidamente lixada, é feito com goivas de diferentes calibres, afiadas, exigindo empunhadura precisa do artista. O desenho é feito em negativo: onde se grava ficará branco, o traço, as linhas serão retiradas pelas goivas. A superfície da placa, a matriz, receberá a tinta tipográfica aplicada com rolo de borracha. O papel colocado sobre a matriz será prensado, com prensa vertical ou a mão, utilizando-se uma espátula grossa. Ao retirar-se o papel terá uma impressão onde o fundo é negro, ou em cor, e os traços em branco. Cada impressão é um original que será numerado e assinado pelo artista.

É uma técnica simples, porém exige do artista extrema destreza e sensibilidade.

A xilogravura tem muitos adeptos no Brasil. É a arte da gravura mais popular.Grandes nomes da artes Brasileira destacaram-se como xilogravadores. Poderemos citar, Livio Abramo ( 1903/1992), Fayga Ostrower (1920/2001), Maria Bonomi e Rubem Grilo no Rio de Janeiro, Glênio Bianchetti, gaucho radicado em Brasília há cerca de 50 anos, um dos fundadores do Clube da Gravura em Porto Alegre, e os criativos contadores de estórias do Cordel Nordestino, com J. Borges e muitos, muitos outros.

A xilogravura é uma arte acessível e hoje, devido aos cuidados com a preservação da natureza, além da madeira os artistas utilizam suportes alternativos, como o MDF coberto com várias camadas de goma laca ou resina, trabalhado com goivas, como na madeira.

Sem comentários ainda.