Regina Motta

O Impressionismo e a Moda

“Muito se tem falado e muito se tem dito” sobre a magnífica exposição das 85 obras de 42 artistas Impressionistas pertencentes ao acervo do Museu D´Orsay em Paris, França.

O Ministério da Cultura e o Centro Cultural do Banco do Brasil ofereceram uma oportunidade única a cerca de um milhão de brasileiros de conhecer, rever, apreciar aquelas obras. Digo brasileiros, pois embora tenham sido apresentadas em São Paulo e no Rio de Janeiro, grupos de curiosos, apreciadores e estudiosos de arte de vários estados enfrentaram horas nas filas para degustar a experiência inédita para muitos.

MONET, MANET, DEGAS, RENOIR, GAUGUIN, PISSARO, COUBERT, LAUTREC, VAN GOGH e outros mestres da pintura do século XIX fazem da transição da arte clássica para a arte moderna um marco de ousadia.

Os artistas, com seus instantâneos quase fotográficos da vida ao ar livre, cheios de luz, movimento e vida, mostram ao mundo os costumes da época, provocam uma reflexão sobre a sociedade em que vivem.

Nas reuniões a beira mar, ora nos campos floridos, nos registros domésticos, nos bares e cabarés,  sempre dando atenção aos detalhes da indumentária de seus modelos, escrevem nas telas a história da moda de seu tempo.

A ARTE FRANCE – CINÉTÉVÉ- Musée D´Orsay, Guy Gogeval, Presidente-Comissario da Exposição do Museu D´Orsay e o Polo de Documentação e Arquivos do Museu D´Orsay sob a direção de Louis David Delange  apresentaram na TV5 MONDE um filme intitulado” L` IMPRESSIONISME ET LA MODE” , direção de Anne Andreu e Emérance Dubas- 2012.

A moda infantil não foi esquecida. Os terninhos de marinheiros, as fardas dos pequenos músicos, a leveza dos vestidinhos em tule e organdi, na graça das vaporosas saias das bailarinas, tudo foi registrado com arte.

A moda masculina é detalhada. Ao ar livre, roupas leves, calças claras, chapéus de palha clara. Às vezes, trajes escuros, mas com os casacos-“vestons”- abertos exibindo os-“gilets”-coletes e as gravatas. Ah! As gravatas! Variadas, em seda, em padrões coloridos ou discretos foram a nota da elegância masculina. Notável o retrato dos artistas reunidos no atelier do pintor. À beira mar ou às margens do Sena, os canoeiros usam camisas de mangas curtas, listadas e as damas, vestido leves e graciosos.

Não só a sociedade é retratada pelos impressionistas. Alguns mostram expressivo retrato do submundo de Paris. Não esquecem os profissionais da moda, os garçons e copeiras. Todos são retratados com suas indumentárias do trabalho.

As fotos apresentadas como complemento deste texto são, na maioria retiradas do filme acima citado. Outras da internet.

Ao apreciarem as fotos, analisem os detalhes aqui destacados.

E boa viagem pela história de O IMPRESSIONISMO E A MODA.

Tags:

Uma opinião para “O Impressionismo e a Moda”

  1. Cléa Sá
    Cléa Sá
    07/02/2013 at 23:16 #

    Valeu, Regina. Muito boa a sua escolha das telas que mostram a moda em sua relação com a arte. Já estou esperando a próxima matéria. Parabéns!
    Cléa