Regina Motta

O Desenho como traço do pensamento


Para mim, o desenho é mais uma investigação do pensamento do que uma investigação de observação. Antes de executá-los, os desenhos são frequentemente tão breves e compactos quanto o pensamento”…
MARK MANDERS, em “Several drawings on top of each other”- 2002
“Devido à sua escala habitual, aos seus materiais e em razão de sua relação tão íntima com o funcionamento da mão, o desenho é uma aproximação da escrita como índice de formas de expressão. Um desenho é muitas vezes quase um autógrafo não intencional, uma assinatura.”


NEIL BARTLETT, em “What drawing feels like- What is drawing?”- 2003
“O desenho é a primeira forma visível nos meus trabalhos… A primeira coisa visível da forma do pensamento, o ponto de inflexão entre os poderes invisíveis e a coisa visível…”
JOSEPH BEUYS, em “Thinking is form” de Rose e Ann Temkim-1993
“Um desenho pode ser altamente controlado e delicado, uma homenagem, a evocação de uma memória pessoal, história ou desejo; pode ser automático em resposta a elementos irracionais ou encontros fortuitos de materiais passando, uma vez mais, de instrumento do divino para algo extra-humano.”
EMMA DEXTER, em “To draw is to be human!-2005
“Não, nada irá nesse mundo apagar o desenho que temos aqui nem o maior dos seus erros, meus erros, remorsos, o farão sumir”…
CAETANO VELOSO, em “Não me arrependo” -2006

Com essas citações abrimos o nosso encontro e esclarecemos o nosso tema. Conversaremos sobre o desenho tendo como suporte o papel e como técnica as tradicionais, como o grafite, carvão e nanquim. Em outra ocasião entraremos em contrato com manifestações artísticas em desenho que utilizam outros suportes e técnicas como aquarela, colagem e técnicas mistas.
São várias as categorias ou tipos de desenho. Podem ser analisados quanto à sua relação com o observador, à pratica do artista, ao tempo de execução, ao objetivo da obra…
Vão desde os rabiscos aleatórios de quem fala ao telefone (hoje com o celular é mais raro!), ou quem assiste a uma palestra, até aqueles elaborados e que preenchem a superfície do papel.
Desenhamos quando anotamos um modelo de roupa ou de um móvel, quando fazemos o mapa para o amigo chegar ao nosso encontro.
No projeto de uma casa ou na reforma da mesma, ali estão nossa ideias, nosso pensamento, nosso desejo. Temos o desenho de memória, aquele que compartilhamos com alguém que amamos e não está conosco.
Desenhamos nossas sobrancelhas e nossos lábios quando nos maquiamos ou o fazemos em outrem.
E ainda, desenhamos sobre nossos próprios desenhos, retocamos ou completamos com novos elementos, pois nosso momento mudou, nosso pensamento é outro.
Tudo isso é desenho.
Apreciemos as ilustrações a seguir analisando as técnicas utilizadas e o pensamento dos artistas.

REFERÊNCIAS:
DESENHOS [drawings]:A-Z
Coleção Madeira Corporate Services- Funchal- Ilha da Madeira-Portugal- 2006

ILUSTRAÇÕES;
DESENHOS ]drawings]: A-Z, Coleção Madeira Corporate Services- 2006
Internet
Coleção da autora.

Sem comentários ainda.