Regina Motta

Lucian Freud

 

 

LUCIAN FREUD, neto de Sigmund Freud transpirava arte e energia. O pintor alemão, nascido em Berlim em 8 de dezembro de 1922, mudou-se para a Inglaterra com a família aos 11 anos de idade. Aos 16 anos naturalizou-se britânico. Lucian FREUD foi um dos mais importantes artistas do século XX. Figurativo, pintava a figura humana em toda sua força, numa frieza contundente, cruel, impiedosa. Não se preocupava com a beleza estética nem com a sensualidade. Para o artista, o nu não revelava emoção. Era como uma natureza morta. O corpo nu era um objeto de pele, carne, músculos e ossos. Não eram pessoas, mas temas. “Pinto a pessoa não pela sua aparência ou a despeito de como parece, mas como ela é”, declarou o artista. Mas não é assim que sente o expectador. Impossível não se emocionar com os retratos vigorosos, numa composição impecável, escala cromática riquíssima. Lucian Freud não tinha pressa em terminar suas obras. Pintava lentamente, com muita calma, levava de seis meses a dois anos para dar por terminado o trabalho nas enormes telas. Lucian descobriu a arte pelo Desenho, técnica que é sem dúvida a base de seu trabalho. Para muitos, o estilo de Lucian Freud fica entre o Expressionismo alemão e o Surrealismo. Expôs em quase todos os países europeus e tem obras nos maiores Museus do mundo. Foi condecorado com a importante comenda da Ordem do Mérito Brits. A Rainha Elisabeth II foi retratada pelo artista no Palácio de St James. Ostentava o Diadema de Diamantes que usa na abertura do Parlamento e está nas notas e nos selos britânicos. Foi enorme a polêmica sobre o resultado: indignação e admiração . A obra se encontra na Royal Collection. Outra polêmica foi o Nu, retrato da modelo Kate Moss, nua e grávida. Pintado em longos meses do inverno de 2002, foi arrematada em leilão na Christie’s por cerca de 20 mil libras, em 9 de fevereiro de 2005. Lucian Freud faleceu em Londres, em 20 de julho de 2011, aos 88 anos de idade.

Sem comentários ainda.