Regina Motta

Grafite – Arte Urbana

A arte do Grafite remonta ao Império Romano quando os muros da capital Romana eram decorados com inscrições e desenhos representativos das conquistas históricas.

Grafite é arte urbana, arte visual, quando o artista escolhe o espaço público como um suporte para sua expressão plástica utilizando tintas em spray, látex ou PVA.

Normalmente essa expressão artística está vinculada a um tema social criando uma interferência na vida urbana.

Nos anos 80 era confundido com a pichação. No entanto,  é bem diferente. Pichação são geralmente rabiscos, palavras de ordem, inscrições que se fazem em paredes, muros, viadutos e pontes e é considerada ato de vandalismo, quando não há autorização do poder público ou de particulares para essas interferências. A Lei 9.605/98 regula a atividade – Lei dos Crimes Ambientais. Há previsão de punição para os infratores no seu Artigo 46.

Os pichadores muitas vezes interferem com seus arabescos em painéis grafitados.

Hoje reconhecido como arte urbana, o Grafite renasceu nos anos da contrarrevolução cultural, na França, em 1968, e com Jean Michel Basquiat nos anos oitenta, em Nova York. Basquiat chegou a pintar junto com Andy Warhol. Nova York chegou a ser a capital mundial do Grafite.

Existem escolas de grafite espalhadas por toda parte e museus a céu aberto como o Lake Street Tunnel, em Londres e o Viaduto Museu Aberto de Arte Urbana,  em São Paulo,  que são atrações turísticas e roteiro artístico das cidades.

Existem mestres em Grafite no mundo inteiro. Citaremos alguns, mas não poderemos dizer quem é o melhor, pois sua influência no meio é que o fará… São eles, em Nova York/ USA o grupo Faile; o JR, em Paris/Fr; o Blu, na Itália; Banksy,  em Londres/GB; o Sixearte, em Barcelona, na Grécia, em Israel, na Alemanha, Cuba.

No Brasil se destacam Os Gêmeos – Gustavo e Otávio Pandolfo – O Chivitz e o Nunca. O Grafite brasileiro é representado e muito admirado no exterior. Os Gêmeos são reconhecidos internacionalmente e iniciaram suas atividades como pixadores, em São Paulo. Hoje ostentam trabalhos magníficos em Museus internacionais como o Tate Modern em Londres, Castelo na Escócia e no Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM. Suas criações mostram seres fantásticos e figuras oníricas de grande beleza. Com técnica especial utilizam pouco spray  dando preferência ao látex e ao PVA.

Em Brasília, os tapumes do Estádio Nacional Mané Garrincha tem seus 2 km trabalhados por grafiteiros da capital.

Os artistas grafiteiros em geral formam grupos –crew- para a execução de seus painéis. Usam termos específicos em inglês, como bite –Cópia de outro autor; bombing– grafite rápido com poucos detalhes; bubble style-com letras arredondadas; characters -retratos, bonecos, caricaturas;fill in-preenchimento no interior das figuras ou letras; in line—contornos; spot-local do grafite, muro, e por aí vai…

Fora do Brasil a palavra grafitti se refere às duas expressões, grafite e pichação, indiscriminadamente. Não há repressão a nenhuma das duas formas.

Agora vamos às ruas apreciar esta arte que mexe conosco o tempo todo!

REFERÊNCIAS:

-Grafite X Pichação- Diego e Suyane Oliveira.

Os Gêmeos – Centro Cultural Banco do Brasil/CCBB

Fotos Internet

ATHOS BULCÃO

2 Responses para “Grafite – Arte Urbana”

  1. Oliver
    02/02/2014 at 11:25 #

    Bom dia Cléa! Muito bom o post!! Parabens!
    Você por acaso sabe dizer em que rua fica o “Grafite em fachada- Olinda”?
    Muito obrigado

  2. Fernanda
    29/04/2013 at 21:29 #

    muito bom ! linda a arte grafiti !