Regina Motta

GLÊNIO BIANCHETTI

GLÊNIO Alves Branco BIANCHETTI nasceu em Bagé, no Rio Grande do Sul em 15 de janeiro de 1928.

Artista multifacetado é pintor, gravador, ilustrados e professor.

Iniciou sua formação artística no Instituto de Belas Artes de Porto Alegre (RS) onde foi aluno de Iberê Camargo. Mas, foi em Bagé que criou, ao lado de Glauco Rodrigues e Danúbio Gonçalves, o primeiro Clube de Gravura, em 1950.

No ano seguinte, desta vez ao lado de Carlos Scliar e Vasco Prado, fundou o também pioneiro Clube de Gravadores de Porto Alegre. Já nesta fase havia uma intensa afirmação de regionalismo com temas culturais e sociais em suas gravuras.

Em 1960, a convite de Darcy Ribeiro, transferiu-se para Brasília (DF) onde com outros artistas e intelectuais da época compôs o quadro docente da promissora recém-criada Universidade de Brasília, UnB. Apesar do golpe militar de 1964, quando junto com grande parte dos professores da UnB foi demitido, não desistiu de permanecer na nova capital e aqui, com sua esposa Ailema, criar sua família. Foi uma fase dura, superada pela união da família e trabalho árduo. Juntos criaram o CRESÇA, um projeto ousado e inovador de criação artística que, durante 15 anos, formou uma nova geração de artistas na cidade, projetando-a internacionalmente.

Contudo manteve o seu apego às tradições gaúchas manifestando-as em suas telas.

Pintou a Via Sacra na Capela Santa Tereza, em Bagé, retornando às suas origens. O magnífico trabalho, eloquente, vigoroso, porém sensível nos seus traços expressionistas é de grande beleza.

Em 1988 foi reintegrado à UnB celebrando o retorno da democracia no País.

Em 1999 fez uma retrospectiva no Salão do Palácio Itamaraty comemorando os 50 anos de arte.

Continua sua produção com regularidade e promove mostra em seu atelier, anualmente.

Suas obras se encontram em museus, galerias de arte, coleções particulares nacionais e internacionais.

A residência em Brasília é um movimentado centro cultural. Além de abrigar sua família e seu atelier, é onde recebe os artistas, amigos, artesãos e promotores culturais. Discreto e tranquilo é um dos maiores expoentes da arte brasileira contemporânea.

REFERÊNCIAS:

GLÊNIO BIANCHETTI- 50 anos de arte. Palácio Itamaraty, 1999.

GLÊNIO BIANCHETTI- Via Sacra- Ed Grupo 108 Comunicação

Internet

Fotos: arquivo da autora e  internet

Uma opinião para “GLÊNIO BIANCHETTI”

  1. maria eugenia sa
    09/09/2013 at 10:32 #

    trabalho maravilhoso!