Cléa Sá

FAYGA OSTROWER- A artista master.


Fayga Perla Ostrower nasceu em 1920 em Lodz, Polônia. Chegou ao Rio de Janeiro aos 14 anos, em 1934.

Fayga foi uma artista completa. Gravadora, pintora, desenhista, ilustradora, professora, foi das personagens mais importantes no panorama da arte brasileira do século XX.

Iniciou-se nas artes gráficas na Fundação Getúlio Vargas, em 1947 onde estudou xilogravura e gravura em metal com grandes mestres brasileiros referências da época, como Axel Leskoschet e Carlos Oswald.

Suas primeiras obras tinham temática social, em linguagem expressionista e algumas vezes cubista. Em 1950 passa a produzir criações abstratas que seria sua linguagem definitiva. O abstracionismo de Fayga tem uma composição ordenada, rítmica, íntegra. Os planos verticais e horizontais estabelecem harmonia perfeita. A cor é bem aplicada e adequada aos temas.


A partir de 1954, parte para cursos no exterior, principalmente em Nova York.
Lecionou gravura no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro -MAM

Nos anos 70 dedica-se à aquarela e publica livros sobre arte e criação artística, com títulos como “Criatividade e Processo de Criação” (1978), “Universos da Arte” (1983), “A Sensibilidade do Intelecto” (1998) entre outros, obras que são até hoje reconhecidas nas melhores escolas de arte do país.
Fayga foi premiada na Bienal de São Paulo (1957) e na Bienal de Veneza (1958), e recebeu durante toda sua vida artística inúmeras premiações nacionais e estrangeiras.

Uma grande retrospectiva de sua obra foi realizada, com enorme sucesso, no Museu Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro e no Centro Cultural do Banco do Brasil com gravuras da produção de 1959 a 1995.

Em 2001, Carlos Martins, grande gravador brasileiro e conhecedor da obra da artista publicou o livro Fayga Ostrower onde apresenta de maneira técnica e poética a obra da grande artista.

Em 2002, logo após sua morte foi fundado o Instituto Fayga Ostrower, no Rio de Janeiro. A instituição realiza projetos, seminários e exposições visando desenvolver novas ideias, concepções e preservar o espírito da obra de Fayga.
A artista foi casada com Heinz Ostrower e teve dois filhos, Anna Leonor e Carl Robert.
Faleceu em 2001, no Rio de janeiro.

REFERÊNCIAS:
“ENTRE DOIS SÉCULOS”- Roberto Pontual- Arte Brasileira do Século XX-
Coleção Gilberto Chateaubriand- Ed. JB/RJ-1982
“FAYGA OSTROWER”- -CATÁLOGO- Carlos Martins -MNBA-2001
FAYGA OSTROWER- ITAÚ CULTURAL
FOTOS:
Daniel Caetano
Internet

Sem comentários ainda.