Cléa Sá

Daqui do meu canto

Daqui do meu canto

.  Quem matou o terena Oziel Gabriel, em Sidrolândia (MS), na fazenda que desde 2010 foi declarada Terra Indígena? Não sei a quantas anda a investigação, se continua ou se  já foi encerrada, se alguém foi acusado do crime, ou se o índio simplesmente foi dado como morto sem ninguém ter apertado o gatilho.  Segundo uma socióloga, as manifestações de junho começaram aí. Embora eu não tenha visto nas passeatas um só cartaz falando da morte do indio terena, não duvido nem um pouco. Assim como houve uma frenética troca de mensagens pelo facebook, pelo twiter entre os inconformados dos mais variados matizes, talvez os índios tenham acionado, por algum sistema de comunicação próprio, seus deuses e exigido uma reparação. Terão ainda algum poder os deuses da terra brasilis? Veremos.

. “É preciso parar e pensar. Porque esses, que assim morrem, só morrem porque parte da sociedade brasileira sente menos a sua morte. É cúmplice não apenas por omissão, mas por esse não sentir que se repete distraído no cotidiano. Por esse não sentir que não surpreende ninguém ao redor, às vezes nem vira conversa. Essa polícia que mata nos reflete, por mais que recusemos essa imagem no espelho” Eliane Brum. Trecho  de matéria que trata da ação da polícia em Nova Holanda, no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, na segunda-feira passada (24/6), quando dez pessoas morreram.  Não há o que comentar, só lastimar pela exatidão do que diz a jornalista.

.

Sem comentários ainda.