Cléa Sá

Daqui do meu canto

. Estou acompanhando atentamente a discussão em torno das biografias, se devem ser autorizadas pelos biografados. Tenho lido os argumentos dos dois lados, mas os do Procure Saber são fraquinhos, fraquinhos. Para mim, é censura. E sou contra.
Para saber mais leia:http://oglobo.globo.com/cultura/penso-eu-10376274)
http://blogdomariomagalhaes.blogosfera.uol.com.br/2013/10/17/meu-caro-chico-minha-carta-ao-chico-buarque/< /a>

. E os Blacks Blocs? É outra coisa que estou procurando entender. Às vezes entro em umas teorias conspiratórias, mas recuo, felizmente. Acho que são mesmo jovens revoltados com o mal estar dessa nossa civilização, se é que se pode chamar o nosso país com tanta zona de atraso civilizado, e só encontram essa forma para se manifestar. Se forem anarquistas, estão seguindo a cartilha.
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/10/1357849-opiniao-black-bloc-visa-chamar-atencao-de-um-estado-ausente.shtml

. E o discurso do Luiz Ruffato na abertura da Feira de Frankfurt? Gostei. Só disse a verdade. E não achei nada demais ele falar do Brasil lá fora. Não acho feio, acho correto. Chega de ufanismo, do por que me orgulho do meu país. A verdade é essencial para a mudança. O discurso está aqui:
www.oesquema.com.br/…/um-discurso-historico-luiz-ruffato-na-feira-de…‎

. Li um livro maravilhoso, O filho de mil homens, de Valter Hugo Mãe. Português nascido em Angola, escreve com maestria. Fazia tempo que eu não lia um livro tão bom. Gostei também do livro da Patrícia Melo, Ladrão de cadáveres.

. Nessa minha viagem vi duas belas exposições. No Rio, vi no Museu de Belas Artes A herança do Sagrado, obras-primas do Vaticano e de museus italianos. E em São Paulo, no MASP, uma exposição do Lucian Freud. Valeram a viagem.

Sem comentários ainda.