Cléa Sá

Curtas

 

.Luís  Fernando Veríssimo   voltou a escrever. Li hoje uma crônica dele. A primeira boa notícia do ano.

. José Mujica, presidente do Uruguai, foi a maior descoberta de político que fiz no ano passado. Continuo acompanhando as suas inovações e sua maneira de governar com profunda admiração.

. Estou lendo a biografia de Graciliano Ramos escrita por Denis de Moraes. No pouco tempo em que ele foi prefeito de Palmeira dos Índios, Alagoas, teve uma atuação fora dos padrões da época –década de 1920- e continua um modelo de governante para os dias de hoje.

. A justiça chilena processa os assassinos de Victor Jara, músico e diretor de teatro, torturado e morto após o golpe militar de 1973. Que a justiça seja feita.

. As mulheres continuam sendo maltratadas e mortas em todas as partes do mundo. No Brasil, com a Lei Maria da Penha, demos um grande passo para mudar esse estado de coisas. Mas ainda há muito por fazer. Na Índia, considerado o país que pior trata as mulheres, o caso da jovem estudante que morreu em consequência de estupro e agressões causou uma comoção no mundo inteiro.

. E o novo acordo ortográfico que só vai entrar em vigor no ano de 2016? Eu não aprendi ainda a escrever pela nova ortografia, perdida em meio aos hifens e mudanças de acentos,  e  não consigo escrever pela antiga. Até tentei.  Como ficam os estudantes? Vão ter de aprender as duas formas? Sei não.

Sem comentários ainda.