Julita

Assuntos Aleatórios de Julita.

2014 quase findando. Enquanto se despede traz como que uma necessidade de retomá-lo em seus acontecimentos. Aqueles de data marcada, previstos e outros que nos pegaram de surpresa. O imponderável surgido não se sabe de onde. Os momentos bons, felizes, festivos. Outros angustiantes e sofridos. Os fatais. Os definitivos para o bem e para o mal.

Sabe que nenhum deles me veio à cabeça? Perderam-se nas miríades de encantamento que sempre vislumbro a minha volta: a luz do sol ao entardecer, o céu estrelado, um pendão de lírios despontando entre as folhagens, o alvoroço dos passarinhos fugindo da chuva. O sonzinho das falas das crianças brincando no parque bem ali embaixo da minha janela.

Essas e outras coisas mais inconfessáveis mas nem por isso não menos prazerosas foram brotando como um olho–d’ água deixando borbulhante de alegria meu coração.

O que aconteceu já passou, já se foi. Bom ou ruim são águas passadas e não movem moinhos. Talvez até movam, mas não como antes. O que passou, passou.

2015 está aí batendo a nossa porta e com ele chega o réveillon, a semana santa, o carnaval; o inverno, o outono, a primavera e o verão, novamente. Eterna transformação daquilo que é eterno enquanto dura (desculpem o quase plágio). Movida por essa reviravolta em meu pensamento surpreendo-me com a transitoriedade do que se quer eterno, infinito: o tempo.

E surpresa, ainda, dou de ombros e digo pra mim mesma: prefiro olhá-lo, 2015, por esse viés das miríades que estão sempre me encantando. Não é de propósito, é meu jeito de ser. Aleatório, à revelia do calendário e cada vez mais entregue as coisinhas miúdas e insignificantes, comezinhas e banais.

Tenho quase certeza, só para não me sentir tão arrogante, são elas que nos sustentam e sustentam o mundo e, mais ainda, aquietam nosso coração dando-nos a dimensão do eterno.
Celebremos no Natal esse menininho nascido faz tanto, tanto tempo, e, inspirados em sua história façamos renascer a fé no humano, a esperança de que dias melhores virão.
Que os efeitos dessa celebração façam brotar boa-vontade e gratidão em todos os dias de 2015.

FESTEJEMOS!

Sem comentários ainda.