Cléa Sá

Carta à Marina

Marina

Em 2010 meu voto foi um entre os 19 milhões que você recebeu. Na ocasião, não esperava vitória. Votei em você porque a considerei o melhor candidato, embora, confesso, Plínio de Arruda Sampaio tenha me encantado com sua verve e charme, mas não me animei então com seu programa. Depois fiquei contrariada com sua posição no segundo turno: em cima do muro. Achei que você devia ter tomado uma posição, e nós, seus eleitores, resolveríamos se a seguiríamos ou não. Mas isso já passou. Deixo pra lá.

Agora estamos novamente pertinho daquele momento especial em que entramos na cabine e solitários, mas poderosos por um instante, depositamos o nosso voto. E eu já escolhi: vou votar em você. Minha primeira opção era o Eduardo. Sua morte me entristeceu e não fui automaticamente para você. Não. Parei, me informei, acompanhei as campanhas, pensei e finalmente me decidi. Votar é muito bom, mesmo que não se ganhe a eleição. Eu até lhe aviso, não sou um eleitor pé quente, mas como você terá muitos eleitores, isso se dilui, espero.

Penso que você traz uma aragem boa, uma oxigenação na política, um pouco de esperança. Você fará um bom governo? Não sei dizer, mas penso que é provável. O Itamar entrou em um período muito difícil e saiu-se bem. Então, por que não?

Você não é bem vista pela intelligentsia do país. Os intelectuais, o pessoal das universidades, quase sem exceção, lhe viram a cara. Parece-me que os avanços trazidos pelos governos do PT na área social dão a esse partido um aval ilimitado. E isso não me parece bom. Todos gostamos de ver a retirada de milhares de pessoas da extrema pobreza e a melhoria das condições de vida de parcelas consideráveis da população como fizeram os governos petistas, mas isso não pode dar ao PT carta branca para fazer o que bem entender. Outros aspectos do governo não foram bem e, principalmente, a ética, a correção nos negócios do estado, a honestidade não podem ser banidas com a explicação de que todos os partidos têm corruptos e que dos males, o menor. Não. Não e não.

Quando eu era menina ainda, me lembro do discurso da UDN que bradava por valores éticos atacando o PSD de então, e depois o que se viu foi esse partido tramando um golpe militar que nos levou à ditadura, que aqui se instalou por 20 anos com todos os males que sabemos. Será que vem daí o descrédito da honestidade e da correção nos negócios públicos? Não sei. Não sou intelectual, nem cientista política. Sou apenas uma mulher interessada nas coisas da vida, e a política é uma delas.

Mas volto a lhe explicar porque me decidi a votar em você, Marina. Como lhe disse tenho acompanhado as campanhas e não vi em um só momento você falar em não utilizar os recursos do pré sal em investimentos para a educação ou em abandonar o programa do bolsa família. Vi você falar em dar autonomia ao Banco Central, isso é um fato. Mas será isso uma coisa ruim? Não entendo de economia, mas só saber que a Margaret Thatcher jamais permitiu a autonomia do Banco Central da Grã Bretanha durante o seu governo já é um ponto a favor, me parece.

Mas aí comecei a ver as propagandas. Como se explicam aqueles filmes, por sinal muito bem feitos, em que as famílias começam a ver os alimentos sendo retirados das mesas enquanto homens de terno e gravata se refestelam e saboreiam a desgraça alheia? E outro, esse não vi mas li a respeito, em que os livros das crianças começam a perder as letras? Muito triste. Confesso, Marina, que se eu vivesse com pouco – 1 ou 2 salários mínimos, ou dependesse em parte do bolsa família, correria de você como o diabo corre da cruz. E se fosse criança e visse as letras dos meus livros sumindo, eu que tanto gosto de ler, correria a pedir a meus pais que não votassem em você. Pois bem, foi aí que me decidi.

Mas tem mais. Primeiro, sua religiosidade. Sou uma católica convicta, mas pouco praticante e admiro o modo como você vive a sua fé. Não vejo nela fanatismo, e sim perseverança e zelo, que até invejo um pouco. E não acho que você pense, pelo menos nunca deu a entender isso, em transformar o nosso estado laico em religioso, nem em impor seus costumes e padrões religiosos à nação. E você nem ninguém conseguiria isso, mesmo se quisesse.

Outra coisa que admiro é você estar aberta para coisas novas. O mundo, como nós o conhecemos, está no fim, embora isso não signifique que seja amanhã ou depois. Mas não está tão longe, dizem os entendidos. Não há como continuar dilapidando os recursos da terra, eles não são infinitos. E você pensa nesses temas. O que fará? Também não sei. Mas abrir a discussão, ouvir as vozes discordantes dos modelos atuais, isso você fará, com certeza.

Você fala engraçado, Marina. Às vezes seu falar me lembra um pouco os versos do Djavan ou as tiradas fantásticas do Gilberto Gil, mas gosto. E entendo… quase sempre.

E por último, mas não menos importante, acho você bonita, Marina. Você é tão magrinha, parece frágil, chora quando triste, mas é forte como um touro. Disso sei pelo que já li da sua vida. E você parece um passarinho, Marina. Não de gaiola, mas um lindo passarinho livre e solto.

E só um conselho, se me permite: goste menos do Lula. Você será mais feliz. Vá por mim.

Com admiração

Cléa

16 Responses para “Carta à Marina”

  1. Dina Brandao
    18/09/2014 at 20:18 #

    cleita querida! Admiro você, tua coragem e tua sinceridade e lucidez. A despeito do que vão dizer ou pensar nossos amigos, a arrasadora maioria que se mantem apegada ao PT, enfeiticados e fanaticos pelo PT. você, assumiu a tua admiraçao e tua posicao diate dos fatos. Grande abraço para você. eu não sei se vou votar na Marina, mas vou votar contra o PT. votando na Marina. Beijos. dina
    Desculpe a flata de assentos nas palavras. Estou com um teclado sem acentos e ce cedilha.

    • Cléa Sá
      Clea
      19/09/2014 at 10:44 #

      Oi, Dina, minha escolha é Marina, pela razões que exponho. Não precisava declarar, mas tive vontade, Mas, assim com tenho minhas preferências, acho correto que outros sigam a Dilma, o Aécio, o Pastor Everaldo ou quem mais quiser. É a democracia. Obrigada por ler e gostar
      Um abraço
      Cléa

  2. Marcello
    16/09/2014 at 01:01 #

    Querida Cleita, ainda estou indeciso para presidente, mas nutro admiração pela Marina. Acho que você devia tentar enviar o seu texto para ela, seja pelo site da campanha ou de outra forma. É possível que por conta da campanha ela não consiga lê-lo, mas quem sabe um assessor sensível e apreciador de bom texto não imprime uma cópia e mostra para ela? Tenho certeza de que ela gostaria muito do que você escreveu. O seu apoio é sincero e sem pieguice. No mais, o final do seu texto é irretocável: ela tem que gostar menos do Lula e mais dela.

    • Cléa Sá
      Clea
      16/09/2014 at 12:14 #

      Oi, Marcello
      Acabei de te mandar um e-mail. Obrigada por me ler. Vote em quem achar melhor, mas vote. E mesmo em trincheiras diferentes, nossa amizade será sempre a mesma. Bjs
      Cléa

  3. josenita
    15/09/2014 at 16:35 #

    Cléa,
    se eu fosse Marina convidava vc para um papo com direito
    a cafezinho. O texto, como sempre, sincero, bom e bonito. Vc
    sabe das coisas.
    Bj, Josenita.

    • Cléa Sá
      Clea
      15/09/2014 at 21:34 #

      O cafezinho e o papo não precisam ser de Marina. O seu já me alegrará. Beijos, querida
      Cleá

  4. Lia
    15/09/2014 at 05:49 #

    minha maior admiração é pela sua resistência! não entrega o ouro pro bandido mesmo! muita garra e lucidez, coisas raras neste século… belo terxto, desejo q vc tenha muita razão no q diz e espera!

    • Cléa Sá
      Clea
      15/09/2014 at 10:47 #

      Tomara, Lia. Obrigada e um abraço
      Cléa

  5. Cléa Sá
    Clea
    15/09/2014 at 01:21 #

    Oi, Primo, “não vamos desistir do Brasil”, dizia o Eduardo e diz a Marina e dizemos nós. Um abraço
    Cléa

  6. Regina Motta
    Regina Motta
    14/09/2014 at 23:35 #

    Cléa, vc deixa eu assinar embaixo?
    Pronto, está assinado:
    Regina Motta!

    • Cléa Sá
      Clea
      15/09/2014 at 01:18 #

      Que bom ter sua aprovação, Regina. Bjs
      Cléa

  7. Francisca Zulene.
    14/09/2014 at 20:01 #

    Amei de paixão a sua carta para a Marina. Disse tudo que eu gostaria de dizer ou de ter dito. Oxalá ela chegasse ao conhecimento dela e de mais e mais pessoas. Como eu queria que ela fosse bastante divulgada…

    Abraços,

    Zulene.

    • Cléa Sá
      Clea
      15/09/2014 at 01:20 #

      AH! Dona Zu, agradeço sua concordância. É bom pra gente não se sentir sozinha. Um abraço carinhoso
      Cléa

  8. Gláucia
    14/09/2014 at 18:33 #

    Que carta mais linda, Cleia! Me emocionou.
    Beijo

    • Cléa Sá
      Clea
      15/09/2014 at 01:22 #

      Obrigada, Gláucia. Você é sempre doce e amiga. Bjs
      Cléa

  9. Hamilton Leda
    14/09/2014 at 17:33 #

    Bilhete à prima Cléa: Também voto na Marina, e gosto ainda menos do Lula!

    Com afeição

    Hamilton

Deixe um comentário para Clea