Cléa Sá

Organizadora
  • Facebook
  • RSS for Cléa Sá
  • Mail
Sobre mim, Cléa, exigência do desenvolvedor do site, eis o que tenho a contar: Sou maranhense, de Pedreiras. Vim para Brasília muito cedo, no começo da minha vida e da cidade. Estudei, trabalhei, casei, tive filhos, descasei, sofri perdas e danos, ganhei netos e ainda estou por aqui. Gosto de ler, de escrever, de cinema, de chuva, de comer coisas gostosas, de conversar com amigos, de viajar, de serra, e vou parar de enumerar e resumir: gosto do planeta Terra e gosto de gente. E do Corisco.
Cléa Sá

Últimas publicações escritas por Cléa Sá

Conversas esparsas no tempo…

  Em Brejo, a conversa era em volta do rádio, com hora certa para começar e acabar. Eram os tempos da guerra e a bateria do rádio carregada pela força muscular de alguns homens que ficavam a mover uma roda tinha de ser economizada. Meu pai ligava na BBC de Londres na hora do noticiário, […]

Desejo

Um dia, eu me dano. Deixo tudo de lado e vou pra bem longe, subir numa montanha coberta de gelo.   Chega de calor e de olhar diariamente as mesmas caras. Quero ver gente loura, fria, nada tropical. Quero ouvir uma língua desconhecida que não saiba traduzir. Escaparei, assim, da tortura das respostas. Por que […]

Do Natal

Chego ao final do ano e encerro por aqui as atividades deste blog neste difícil ano de 2015. Nessa conversa vou tentar não falar das nossas agruras, verdadeiras “desventuras em série”. Vou deixar o pensamento vagar e ver o que me surge. O Natal está bem próximo e penso nas andanças de Maria e José […]

Uma rua de Roma

Na última quarta-feira, dia 21 de outubro, nos reunimos para discutir  o livro “Uma rua de Roma”, de Patrick Modiano,  prêmio Nobel de 2014. Estávamos Bete, Carmen, Ceissa, Cléa, Luisinha, Heloísa, Inês, Josenita, Regina, Roberto, Virgínia e Zita.  Como de praxe, começamos por matar saudades, nos inteirarmos das novidades e  falar de filhos e netos […]

Divagações

Pela janela, olho as folhas dos abacateiros dançarem ao sopro do vento. Fico muito tempo nessa atividade, que na verdade não é atividade, é quietude. E enquanto vejo as folhas inquietas, o pensamento anda, passeia, vai ao passado, imagina o futuro, teme o presente. Gostaria de viajar. Ir aonde nunca fui.  Se pudesse, aonde iria? […]

Unforgettable

De rios, viagens e histórias muito antigas

“Não posso oferecer a realidade dos fatos, mas apenas a sua sombra”. Stendhal É do rio Santa Rosa a minha primeira lembrança de rios. Araioses, por onde ele passava, era uma cidade um pouco triste, as ruas eram um areal onde os pés afundavam, o calor era constante, mas tinha esse belo rio muito largo, […]

Poema do Menino Jesus

Poema do Menino Jesus Num meio-dia de fim de Primavera Tive um sonho como uma fotografia. Vi Jesus Cristo descer à terra. Veio pela encosta de um monte Tornado outra vez menino, A correr e a rolar-se pela erva E a arrancar flores para as deitar fora E a rir de modo a ouvir-se de […]

De casas, mudanças e histórias muito antigas.

Era um pequeno bangalô e ficava no alto de um morro. De lá, por uma estrada que serpentava no meio da vegetação, nós ficávamos olhando nossa mãe descer rumo à cidade. Eu não me continha nos meus quatro anos e chorava um choro desconsolado enquanto dizia a meu irmão, só um pouco mais velho “ela […]

Da falta de inspiração a belas páginas de autores queridos

Ai, que tristeza, não tenho mais a menor inspiração. Busco um assunto, qualquer assunto e esbarro em impossibilidades: encontrar um tema, entendê-lo, achar palavras, concatenar ideias. Difícil demais. Sinto-me perdida, sem poder fazer uma coisa que gosto, escrever. Que fazer? já perguntava Lenin. E me pergunto também. Mas como de um jeito ou de outro […]