Poesia

Um burro passa devagar, um cachorro passa devagar. Êta, vida besta, meu Deus! Drummond de Andrade e outros tantos…

RSS para esta seção

Desejo

Um dia, eu me dano. Deixo tudo de lado e vou pra bem longe, subir numa montanha coberta de gelo.   Chega de calor e de olhar diariamente as mesmas caras. Quero ver gente loura, fria, nada tropical. Quero ouvir uma língua desconhecida que não saiba traduzir. Escaparei, assim, da tortura das respostas. Por que […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Poema do Menino Jesus

Poema do Menino Jesus Num meio-dia de fim de Primavera Tive um sonho como uma fotografia. Vi Jesus Cristo descer à terra. Veio pela encosta de um monte Tornado outra vez menino, A correr e a rolar-se pela erva E a arrancar flores para as deitar fora E a rir de modo a ouvir-se de […]

1 comentário Continue Lendo →

Cléa no casulo

Vai que eu viro um passarinho e amanhã,bem de manhã vou trinar forte na 215 acordando minha irmã vai que eu viro uma lagarta e me escondo na gaveta ela busca um cigarro e me encontra borboleta vai que ela se incomoda grita cobra e lagarto mas eu vim só para ela e não saio […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Bilhete

Se tu me amas, ama-me baixinho Não o grites de cima dos telhados Deixa em paz os passarinhos Deixa em paz a mim! Se me queres, enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada, que a vida é breve, e o amor mais breve ainda… Mario Quintana

Deixe um comentário Continue Lendo →

DESIDERATA

Max Ehrmann Viva tranqüilamente, por entre a pressa e os ruídos, e lembre-se de quanta paz há no silêncio. Tanto quanto possível, sem se render, esteja em bons termos com as pessoas. Diga sua verdade calma e claramente, e ouça os outros, mesmo os mais medíocres e ignorantes – eles também têm a sua história. […]

1 comentário Continue Lendo →

Dois poemas de Ivan Junqueira

FLOR AMARELA Atrás daquela montanha tem uma flor amarela; dentro da flor amarela, o menino que você era. Porém, se atrás daquela montanha não houver a tal flor amarela, o importante é acreditar que atrás de outra montanha tenha uma flor amarela com o menino que você era guardado dentro dela. TRISTEZA Esta noite eu […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Dois poemas

Esperança Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano Vive uma louca chamada Esperança E ela pensa que quando todas as sirenas Todas as buzinas Todos os reco-recos tocarem – Ó delicioso vôo! Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada, Outra vez criança… E em torno dela indagará o povo: – Como é […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Os deslimites da palavra

Ando muito completo de vazios. Meu órgão de morrer me predomina. Estou sem eternidades. Não posso mais saber quando amanheço ontem. Está rengo de mim o amanhecer. Ouço o tamanho oblíquo de uma folha. Atrás do ocaso fervem os insetos. Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu destino. Essas coisas me mudam […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Retrato de Szymborska

Mesmo com os olhos semicerrados nota-se, atrás da nuvem do cigarro na leveza dos ombros e pescoço esguio na colher que descansa sobre o pires na dobra folgada da manga da camisa nos livros apoiados sem pressão na estante e na estante quase vazia atrás de si, ela moça arguta que sorve o mundo como […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

CHEGADA DE ARIANO SUASSUNA NO CÉU  

    Nos palcos do firmamento Jesus concebeu um plano De montar um espetáculo Para Deus Pai Soberano E, ao lembrar de um dramaturgo, Mandou buscar Ariano.   Jesus mandou-lhe um convite, Mas Ariano não leu. Estava noutro idioma, Ele num canto esqueceu, Nem sequer observou Quem foi que lhe escreveu.   Depois de um […]

1 comentário Continue Lendo →