Conversas aleatórias

Sempre um tema interessante em tom de uma boa conversa com Julita.

RSS para esta seção

PRIVILÉGIO! COMO?!!!

Envelhecer é um privilégio. Tenho pensado e falado muito nisso. E, com isso concordo inteiramente quando me lembro dos muitos que já se foram antes de mim e, com menos idade. Então, ir-se adentrando pela vida, nesse sentido, é um privilégio, uma vantagem, uma prerrogativa. Mas, convenhamos, nem só de pão vive o homem. Acreditando […]

1 comentário Continue Lendo →

DEPOIS DA TEMPESTADE…

… diz o ditado, vem a bonança. Pego o dicionário à procura da palavra. Mas, não é a palavra que busco. Algo dentro de mim lampeja. Lá fora os raios rasgam o céu. Estremeço com o esbravejar dos trovões e, me assusto com os clarões iluminando a escuridão da noite e da cidade às escuras. […]

1 comentário Continue Lendo →

Assuntos aleatórios de Julita.

Os assuntos sobre violência pululam nos jornais da TV, nos noticiários, nas revistas, nos filmes, nas redes sociais. Diante de nossos olhos. Ao nosso redor, assaltos e sequestros acontecidos com pessoas próximas de nós. Não mais notícias, mas dura realidade que nos faz pensar duas vezes se vale à pena sair de casa, principalmente à […]

1 comentário Continue Lendo →

Uma paisagem, apenas

Há tanto tempo contemplo essa paisagem e ela, lá de longe, me desafia. Ela não me sabe, mas, eu sei dela. Basta isso. Eu sei que sempre, a cada ano, a cada vez que retornar aqui a encontrarei exatamente como a deixei. Ou, penso que seja assim. Em sua natureza ela é apenas uma paisagem. […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

A estrela, ano novo e a página em branco.

A minha frente o papel em branco à espera de um assunto, o primeiro de 2014. Em vão. Até aqueles que perambularam pelos meus pensamentos se esconderam, escaparam nas inúmeras conversas de fim de ano. Pensei muito, dias atrás, no significado dos Reis Magos e em como são pouco festejados entre nós. Logo eles que acreditaram no brilho da […]

1 comentário Continue Lendo →

NATAL, AS LEMBRANÇAS DENTRO DA GENTE.

Abriu o armário. Retirou as caixas. De vários tamanhos e formatos guardavam, desde fora, memórias de outros natais. Sabia de cada enfeite, cada bolinha, cada anjo e laço de fita. Colocando-as, sobre a mesa se questionava quanto ao seu próprio desejo de preparar a casa para o Natal. Agora abertas, as caixas revelavam seus guardados […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

O passado revisitado.

Por quê, pergunto-me várias vezes, o passado se torna tão relevante com o passar do tempo? Situações vividas, as mais corriqueiras, outras já esquecidas brotam de nossa memória com um vigor e um frescor de novidade. Esquecer é uma maneira de lembrar, dizem alguns. Porque esquecemos e porque lembramos ficariam sem respostas se de algum […]

1 comentário Continue Lendo →

Em busca do tempo vivido.

Havia tempo. Muito tempo para aproveitar a sedutora proposta de ficar sozinha, que se delineava enquanto todos se preparavam para sair. Havia chuva, muita chuva, se anunciando. E nenhuma proposta de solidão. Havia os jornais, silenciosamente provocativos a sua espera. E as plantas, desejosas de cuidado, olhavam curiosas. Havia a preguiça. A vontade de se […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Liberdade, liberdade

Ah! Julita, Julita! Não desapareceu não, gente. Sequestrei-lhe a palavra.Ela andava exibida demais quase me expulsando da minha toca, do meu esconderijo. Sequestrei-lhe a palavra. Pronto. Quem sabe, pensei, ela aprenda que é apenas um pseudônimo, como que um biombo por onde deixo passar fugazes impressões do viver, o meu e o de outros. Sequestrei-lhe […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Ainda sobre (o dia das) mães

Mamãe, mamãe, mamãe, tu és a rainha do lar, cantava Ângela Maria com toda convicção. Sua voz potente, clara e límpida chegava aos meus ouvidos infantis provocando inquietações e tumultos que só bem mais tarde se transformaram em questões. E, só há bem pouco tempo ouso revirar pelo avesso essa maternidade que nos foi impingida e, tento […]

Deixe um comentário Continue Lendo →