Conversas aleatórias

Sempre um tema interessante em tom de uma boa conversa com Julita.

RSS para esta seção

O que é a vida? Pra que serve? Quanto vale?

Perguntas essas que já me ocorreram tantas vezes. Dá pra encher muitas mãos e vão muito além da conta dos dedos. Perguntas que me deixam no limite entre a dúvida e o desespero, entre a euforia de estar bem e a desconfiança de nenhuma incerteza quanto ao desenlace. Não há garantias, esse é o nosso […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

A vida e a alegria.

Nós que aqui estamos por vós esperamos, frase cunhada num portão de entrada de um cemitério em algum lugar do Brasil, do qual não me recordo o nome. Faz tempo assisti um documentário ou reportagem e não sei mais do que tratava realmente. O fato é que a frase me veio por inteira assim que […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Dias de maio, dia das mães.

Talvez hoje eu devesse escrever sobre as mães, pois parece que maio fica impregnado desse segundo domingo do mês desde antes. E por que não? Não falo somente dos presentes, dos apelos e expectativas do comércio, mas de toda aura que se cria envolvendo a mãe nossa de cada dia. Medo de me repetir? Talvez, […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Envelhecer, eis a questão….

Outro dia éramos todos jovens. Outro dia éramos todos vivos. Outro dia o futuro era tão longo, algo a perder de vista e tão enigmático como as curvas da Estrada de Santos. Não sabíamos aonde iríamos ancorar nossos sonhos e batimentos cardíacos, cheios de paixão e altos e baixos, depois que a banda passou cantando […]

1 comentário Continue Lendo →

2015, foi um dia um dia foi …

… e 2015 envelheceu abruptamente, surpreendentemente rápido, mais do que imaginei no meu último escrito. Fomos tomados, de surpresa? pelos atentados, pelas meninas usadas como explosivos, pela execução, justa ou injusta?, do brasileiro na Indonésia e outros tantos atos dos quais os jornais nos informam os mínimos detalhes trazendo opiniões diversificadas, divergentes, inteligentes, consequentes ou […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

…esse finzinho de ano-novo

Uma amiga, muito querida, me telefona desejando um feliz 2015. Nossa conversa transcorreu amena e prazerosa fazendo jus a essa quase euforia que nos acompanha nesses primeiros dias do novo ano. Aproveite bem esse finzinho de ano-novo, diz-me entre outros votos. Desliguei o telefone, mas a frase ficou no ar – esse finzinho de ano-novo. […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Assuntos Aleatórios de Julita.

2014 quase findando. Enquanto se despede traz como que uma necessidade de retomá-lo em seus acontecimentos. Aqueles de data marcada, previstos e outros que nos pegaram de surpresa. O imponderável surgido não se sabe de onde. Os momentos bons, felizes, festivos. Outros angustiantes e sofridos. Os fatais. Os definitivos para o bem e para o […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Julita ressurge

O envelhecer nos traz rugas e dor nas costas, e, inevitavelmente, perdas, muitas, de pessoas queridas e algumas insubstituíveis. Tocamos a vida pra diante a muito custo, o luto parece sem consolo, a dor quase insuportável. Nesses momentos a dor e o desconsolo se tornam quase parte de nós mesmos. O luto carece de tempo […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Faz tanto tempo, mas a saudade dele ainda dói em mim.

Foi assim chorosa que ela chegou me falando do pai. Havia morrido muitos anos antes, quase vinte. E ela me diz que essa dor ainda dói, lateja e precisa ser chorada. O que a impedira de pranteá-la? Não sabia bem ao certo. Talvez a pouca idade, talvez o cuidado com os filhos, todos pequenos na […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Ah! o amor.

Amar é um deserto e seus temores- ouvindo pela primeira vez essa música de Djavan e por ele cantada, senti um baque. Pensei, sem nem pensar, ele roubou meu pensamento, esses versos poderiam ser meus. Sem falsa modéstia, já havia rodeado o amor em tantas e indecifráveis voltas que, ouvi-lo dizer assim foi como um […]

1 comentário Continue Lendo →