Conversa vai, conversa vem

A gente deixa o pensamento vagar e vai escrevendo na toada das lembranças…

RSS para esta seção

De coisas grandes e pequenas neste começo de ano

Neste começo de 2015, resolvi fazer diferente: nada de planos, nada de objetivos ou metas a serem atingidas, ou promessas que com certeza não serão cumpridas. Só viver. Os dias estão à minha frente, muitos, poucos? Não há como saber. A morte está sempre presente. “Ela já me espreitava de entre as telhas de uma […]

10 Comentários Continue Lendo →

Conversa com meu pai ou de cartas, santos e canções

Procuro um tema para nossa última conversa do ano e me perco antes mesmo de achar o caminho. Parece-me que estou sempre falando do passado e já devo estar cansando quem me lê e assim penso em abordar assuntos atuais, contemporâneos. Mas vejo logo que não é uma boa escolha. Por mais que não quisesse, […]

10 Comentários Continue Lendo →

De Pedreiras

Um rapaz se dizia comunista e era olhado por todos com desconfiança. Outro, funcionário do Banco do Brasil, tinha uma perna mais curta, mas sabia falar inglês. E tinha aprendido sozinho. Era um autodidata. Esse era olhado com admiração. Talvez a palavra autodidata (ou saber falar inglês) lhe conferisse prestígio. O doido da cidade se […]

13 Comentários Continue Lendo →

De Finados, pequenas histórias e poemas

Hoje fui ao cemitério visitar os túmulos dos meus mortos. Vou todos os anos por ocasião de Finados, não no dia, vou antes ou depois. Vamos de carro, eu e uma amiga, pois os endereços não são próximos e são vários. Vamos de túmulo em túmulo: observamos se estão bem cuidados, fazemos uma breve oração, […]

15 Comentários Continue Lendo →

De lembranças antigas ao fim das utopias

Teria eu quatro ou cinco anos. Não sei precisar. Essa história sairá mal contada, pois não me lembro de tê-la vivido, e sim, e apenas, de tê-la ouvido. Morávamos então em Pastos Bons, onde meu pai era coletor estadual. Um parente seu e a mulher tomaram-se de amores por mim e pediram aos meus pais […]

16 Comentários Continue Lendo →

Carta à Marina

Marina Em 2010 meu voto foi um entre os 19 milhões que você recebeu. Na ocasião, não esperava vitória. Votei em você porque a considerei o melhor candidato, embora, confesso, Plínio de Arruda Sampaio tenha me encantado com sua verve e charme, mas não me animei então com seu programa. Depois fiquei contrariada com sua […]

16 Comentários Continue Lendo →

Amor pelo Cinema – Viagem

Volto ao Cinema. E convido vocês para um passeio por filmes de viagem, gênero da minha predileção. Isto se deve, creio, ao prazer que sinto em viajar: conhecer países, vislumbrar culturas, visitar cidades, viver situações novas, sentar em cafés em uma cidade estranha e ficar vendo pessoas passarem, imaginar histórias, ver obras de arte que […]

1 comentário Continue Lendo →

Conversando com uma amiga morta

Quem pode explicar como se dão as amizades? Como, entre tantas meninas, saber que serás tu a amiga de toda vida? Acho que existem explicações de experts em psicologia ou de quem entende de vidas passadas, mas de nenhuma delas estou convencida. Mas não importa. Importa lembrar que quando te vi pela primeira vez estavas […]

6 Comentários Continue Lendo →

De futebol de várzea à Copa do Mundo

A cidade era pequena e por ela passava um rio que me parecia muito grande e largo. Era o Santa Rosa. Havia casas em que os quintais chegavam até as suas margens e em uma delas uma grande árvore tinha seus galhos caindo sobre o rio e nela nós subíamos para de lá nos atirarmos […]

4 Comentários Continue Lendo →

De pessoas queridas, educação e um sonho

Quando completei doze anos e estava na primeira série ginasial, recebi uma incumbência: substituir minha mãe e escrever as cartas de minha avó para seu filho. Fiquei envaidecida e era com prazer que pegava lápis e papel para fazer o rascunho, que depois caprichosamente passava a limpo com a caneta tinteiro. Começava como era de […]

4 Comentários Continue Lendo →