Conversa vai, conversa vem

A gente deixa o pensamento vagar e vai escrevendo na toada das lembranças…

RSS para esta seção

Conversas esparsas no tempo…

  Em Brejo, a conversa era em volta do rádio, com hora certa para começar e acabar. Eram os tempos da guerra e a bateria do rádio carregada pela força muscular de alguns homens que ficavam a mover uma roda tinha de ser economizada. Meu pai ligava na BBC de Londres na hora do noticiário, […]

3 Comentários Continue Lendo →

Do Natal

Chego ao final do ano e encerro por aqui as atividades deste blog neste difícil ano de 2015. Nessa conversa vou tentar não falar das nossas agruras, verdadeiras “desventuras em série”. Vou deixar o pensamento vagar e ver o que me surge. O Natal está bem próximo e penso nas andanças de Maria e José […]

12 Comentários Continue Lendo →

Divagações

Pela janela, olho as folhas dos abacateiros dançarem ao sopro do vento. Fico muito tempo nessa atividade, que na verdade não é atividade, é quietude. E enquanto vejo as folhas inquietas, o pensamento anda, passeia, vai ao passado, imagina o futuro, teme o presente. Gostaria de viajar. Ir aonde nunca fui.  Se pudesse, aonde iria? […]

4 Comentários Continue Lendo →

De rios, viagens e histórias muito antigas

“Não posso oferecer a realidade dos fatos, mas apenas a sua sombra”. Stendhal É do rio Santa Rosa a minha primeira lembrança de rios. Araioses, por onde ele passava, era uma cidade um pouco triste, as ruas eram um areal onde os pés afundavam, o calor era constante, mas tinha esse belo rio muito largo, […]

7 Comentários Continue Lendo →

De casas, mudanças e histórias muito antigas.

Era um pequeno bangalô e ficava no alto de um morro. De lá, por uma estrada que serpentava no meio da vegetação, nós ficávamos olhando nossa mãe descer rumo à cidade. Eu não me continha nos meus quatro anos e chorava um choro desconsolado enquanto dizia a meu irmão, só um pouco mais velho “ela […]

9 Comentários Continue Lendo →

Da falta de inspiração a belas páginas de autores queridos

Ai, que tristeza, não tenho mais a menor inspiração. Busco um assunto, qualquer assunto e esbarro em impossibilidades: encontrar um tema, entendê-lo, achar palavras, concatenar ideias. Difícil demais. Sinto-me perdida, sem poder fazer uma coisa que gosto, escrever. Que fazer? já perguntava Lenin. E me pergunto também. Mas como de um jeito ou de outro […]

2 Comentários Continue Lendo →

De livros e lembranças do afeto, consolo para momentos tristes

Quando meu pai morreu, não pude assistir ao seu sepultamento. Na hora em que estaria se dando o enterro – palavra terrível – peguei um pano de pó e fui arrumar minha estante de livros. Pegava um livro, limpava, punha no mesmo lugar. Pegava outro, fazia o mesmo. E assim consegui atravessar aquele terrível momento. […]

14 Comentários Continue Lendo →

De ilusões ou pequenas alucinações

Quando eu andava pelos meus sete anos, sempre que ficava gripada meu nariz entupia e, ao me esforçar para respirar, via um campo verde com várias ovelhinhas brancas, umas deitadas, outras andando, outras ainda pastando. Uma paisagem linda, jamais vista antes. Era só fungar, tentar respirar e a paisagem surgia. Isso durou algum tempo, não […]

7 Comentários Continue Lendo →

De mães

Como este mês se comemora o Dia Internacional da Mulher, pensei em escrever sobre o tema. Sobre mãe, especialmente. Mas não é que a coisa está saindo mais difícil do que eu pensei inicialmente? Falar de mãe é um universo. Começar por onde? Que mães abordar? Porque existe mãe de todo feitio, desde as doces […]

13 Comentários Continue Lendo →

De mentiras, histórias trágicas e alegres e um sermão

De tanto o noticiário dos últimos dias falar em mentira, resolvo me debruçar sobre o tema. Não sobre os fatos citados envolvendo políticos, marqueteiros, depoentes em processos, advogados, policiais e outros tantos, que não vou me meter em vespeiro. Não. Pretendo que a nossa conversa seja mais amena, já que tenho telhado de vidro e […]

8 Comentários Continue Lendo →