Arquivo | 2014

Assuntos Aleatórios de Julita.

2014 quase findando. Enquanto se despede traz como que uma necessidade de retomá-lo em seus acontecimentos. Aqueles de data marcada, previstos e outros que nos pegaram de surpresa. O imponderável surgido não se sabe de onde. Os momentos bons, felizes, festivos. Outros angustiantes e sofridos. Os fatais. Os definitivos para o bem e para o […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Uma questão de tempo

Chegou dezembro, mês em que a família e os amigos se reúnem para celebrar, trocar presentes, refletir sobre o ano que passou e dar risadas. Um bom motivo para os sorrisos pode ser a simpática comédia romântica Uma questão de tempo, produzida no ano passado, mas já em exibição neste período em canais a cabo. […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

MARC CHAGALL

O artista russo nasceu em na província czarista de Pestkovotik, gueto judaico da Europa oriental em 7 de julho de 1887, hoje Bielo Russia. Cresceu numa família simples, pobre, muito religiosa. O menino artista frequentava assiduamente a Sinagoga e era leitor voraz dos textos bíblicos. Durante sua vida a fé esteve presente e segundo suas […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Conversa com meu pai ou de cartas, santos e canções

Procuro um tema para nossa última conversa do ano e me perco antes mesmo de achar o caminho. Parece-me que estou sempre falando do passado e já devo estar cansando quem me lê e assim penso em abordar assuntos atuais, contemporâneos. Mas vejo logo que não é uma boa escolha. Por mais que não quisesse, […]

10 Comentários Continue Lendo →

Alfredo Cunha: fotografando como um puto

Alfredo Cunha é um dos maiores fotojornalistas portugueses em atividade. Desde o início dos anos 1970 ele vem clicando as cidades, a descolonização, a revolução de 25 de abril, as crises econômicas, os conflitos armados e as crianças, principalmente as crianças, chamadas carinhosamente em Portugal de putos. “O meu pai dizia que eu fotografava como […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

De Petrarca

Reli agora este texto publicado no blog antigo. Achei por bem republicá-lo, pois enaltece os nossos grandes amigos, os livros. “Meus amigos Tenho amigos cuja companhia me é extremamente agradável: são de todas as idades e vêm de todos os países. Eles se distinguiram tanto nos escritórios quanto nos campos, e obtiveram altas honrarias por […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

De Pedreiras

Um rapaz se dizia comunista e era olhado por todos com desconfiança. Outro, funcionário do Banco do Brasil, tinha uma perna mais curta, mas sabia falar inglês. E tinha aprendido sozinho. Era um autodidata. Esse era olhado com admiração. Talvez a palavra autodidata (ou saber falar inglês) lhe conferisse prestígio. O doido da cidade se […]

13 Comentários Continue Lendo →

A rua como espaço de ser e a escala para dimensionar. A fotografia de Gérard Castello Lopes

E voltamos ao preto e branco para mostrar um dos mais respeitados fotógrafos da Europa, atuando há mais de meio século até sua morte em 2011. Francês de nascimento mas português de família e coração, Gérard Castello Lopes foi diplomata de carreira, herdeiro de uma famosa distribuidora de filmes em Portugal, jornalista, crítico e assistente […]

2 Comentários Continue Lendo →

KANDINSKY- 1866/1944

Com intensa divulgação em toda a mídia, pouco terei a dizer sobre a magnífica exposição de obras de Wassily KANDINSKY e seus contemporâneos.Só me resta convidá-los para visitar “Tudo Começa num Ponto” que o Centro Cultural do Banco do Brasil apresenta neste momento em Brasília. Com Curadoria de Evgenia Petrova e Joseph kiblitsky, as 150 […]

Deixe um comentário Continue Lendo →

Os deslimites da palavra

Ando muito completo de vazios. Meu órgão de morrer me predomina. Estou sem eternidades. Não posso mais saber quando amanheço ontem. Está rengo de mim o amanhecer. Ouço o tamanho oblíquo de uma folha. Atrás do ocaso fervem os insetos. Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu destino. Essas coisas me mudam […]

Deixe um comentário Continue Lendo →