Arquivo | setembro, 2011

Soneto

Luis de Camões   Eu cantarei de amor tão docemente, por uns termos em si tão concertados, que dous mil acidentes namorados faça sentir ao peito que não sente.   Farei que amor a todos avivente, pintando mil segredos delicados, brandas iras, suspiros magoados, temerosa ousadia e pena ausente.     Também, Senhora, do desprezo […]

Deixe um comentário Continue Lendo →